Cubo Itaú planeja expansão global em 2020

Divulgação
Os co-heads do centro de inovação corporativa e empreendedorismo, Pedro Prates e Renata Zanuto

Em seu quarto aniversário, o centro de inovação corporativa e empreendedorismo Cubo Itaú vai avançar com planos de expansão global no ano que vem.

Um dos atores mais tradicionais da inovação brasileira, o hub está identificando parceiros para evoluir a estratégia, que conectará startups brasileiras com mercados internacionais e vice-versa.

“Tivemos uma participação muito relevante para o desenvolvimento do ecossistema no Brasil e olhando para o futuro, temos um grande sonho de aumentar nossa relevância para além do espaço físico,” afirma Renata Zanuto, co-head de ecossistema do Cubo. “Estamos negociando com parceiros estratégicos ao redor do mundo para ter pontes em todos os lugares,” acrescenta.

As ambições globais são um novo passo nos planos do Cubo, que há um mês anunciou uma parceria com o Banco Internacional de Desenvolvimento (BID), com foco em expansão na América Latina.

***

A internacionalização é um aspecto importante da estratégia do Cubo de continuar sendo um protagonista da cena de inovação: “A essência do Cubo é conexão e queremos utilizar nossa plataforma para atrair startups de todo o Brasil e do mundo inteiro,” ressalta o co-head do centro, Pedro Prates.

O centro faturou R$ 540 milhões em 2019 e recebeu R$ 480 milhões em investimento nos últimos dois anos. Segundo Prates, o momento atual também é interessante para investidores internacionais, dado o aumento significativo de maturidade no ecossistema brasileiro.

“Além da densidade, vemos um outro pilar de um ecossistema desenvolvido no Brasil, que é o capital: outros grandes fundos globais seguirão o SoftBank e haverá mais investimento nos próximos 5 anos no Brasil do que em toda a história de venture capital do país,” afirma.

***

Os co-heads do Cubo também observam uma sofisticação de grandes empresas brasileiras em sua forma trabalhar com startups. O próprio centro se mudou para um prédio maior na Vila Olímpia, no ano passado, para atender o aumento no interesse de empresas. Idealizado pelo Itaú e a Redpoint eventures, hoje o Cubo opera em 15 segmentos de mercado, com parceiros como a Kroton, DASA e BRMalls.

“Grandes empresas não entendiam muito bem o negócio das startups, tinham medo de se relacionar com elas e não acreditavam que suas tecnologias ou os empreendedores conseguiriam atender as demandas de empresa tão grandes,” conta Prates.

“Desde 2015, quando lançamos o Cubo, essa realidade mudou radicalmente: o nível de integração e de colaboração de grandes empresas com startups no Brasil mudou de patamar e o Cubo teve um papel fundamental em conectar estas duas pontas,” ressalta.

Para acompanhar esta evolução do ecossistema, o Cubo vai focar em áreas como o desenvolvimento de sua plataforma de conexão entre talentos e startups, já com 33 mil inscritos. Só em 2019, 770 empregos foram gerados entre as startups presentes no prédio do centro.

Outra prioridade é a plataforma de desafios de inovação corporativa, onde o centro faz um matchmaking entre grandes empresas e a comunidade de mais de 250 startups residentes e membros que incluem as residentes no prédio e outras empresas de 15 cidades no país. Neste ano, 249 desafios já foram publicados, onde as startups respondem com soluções de base tecnológica.

O espaço celebra seus quatro anos hoje no Cubo Conecta, evento que inclui debates com nomes como Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco; Rodrigo Galindo, CEO da Kroton Educacional; Ana Theresa Borsari, country manager da PSA Brasil; Renato Freitas, co-fundador da 99; e Anderson Thees, diretor na Redpoint eventures. As startups do Cubo estão promovendo experiências no espaço, onde o público poderá interagir com inovações em diversas verticais.

***

Conferência no Ceará discute inovação pelo bem

Neste final de semana, a praia do Cumbuco, no Ceará, será palco de uma conferência de inovação e tecnologia onde serão apresentadas e discutidas soluções inovadoras por um futuro sustentável. O Winds for Future Summit terá 75 expositores e startups, investidores-anjo e fundos de investimento e mais de 50 palestrantes internacionais e nacionais, incluindo Ari de Sá Neto, fundador e CEO da Arco Educação, e Débora Garofalo, professora que desenvolveu o um projeto de robótica com sucata e foi finalista do Global Teacher Prize. A programação também terá hackathons, pitches de startups, mentorias de investidores, workshops e uma ecovila de produtos sustentáveis.

EDF lança prêmio de inovação no Brasil

A gigante francesa do setor de energia Electricité de France (EDF) abriu as inscrições para a primeira edição do Prêmio EDF Pulse Brasil. O foco é startups de inovação que desenvolvem soluções eficientes para os desafios das indústrias e das grandes cidades. O prêmio oferecerá até R$ 100 mil aos três finalistas e há a possibilidade de parcerias comerciais com a empresa. Inscrições podem ser feitas até 1 de novembro e vencedores serão anunciados em dezembro.

Angelica Mari é jornalista especializada em inovação há 18 anos, com uma década de experiência em redações no Reino Unido e Estados Unidos. Colabora em inglês e português para publicações incluindo a FORBES (Estados Unidos e Brasil), BBC, The Guardian e outros.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).