CDC dos EUA retira alerta sobre transmissão aérea da Covid-19

Hannah McKay/Reuters
Hannah McKay/Reuters

Atualmente, a diretriz da agência diz que o vírus se dissemina principalmente de pessoa para pessoa por meio de gotículas

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) disse hoje (21) que publicou equivocadamente uma diretriz sobre a possível transmissão do novo coronavírus através de partículas que atravessam o ar e que atualizará suas recomendações.

“O esboço de uma versão de mudanças propostas para estas recomendações foi publicado por engano no site oficial da agência”, disse o CDC.

LEIA MAIS: CDC dos EUA diz que coronavírus pode se espalhar pelo ar

O CDC não respondeu de imediato ao ser interrogado pela Reuters sobre quando a diretriz será atualizada.

A diretriz já retirada, publicada no site da agência na sexta-feira (18), recomendava que as pessoas usassem purificadores de ar para diminuir os germes que circulam em ambientes fechados, evitando assim a disseminação da doença.

A agência de saúde havia dito que a Covid-19 pode se propagar através de partículas que atravessam o ar que podem permanecer suspensas e viajar mais de 1,8 metro.

Atualmente, a diretriz da agência diz que o vírus se dissemina principalmente de pessoa para pessoa por meio de gotículas de respiração, que podem pousar na boca ou no nariz de pessoas próximas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que está monitorando “indícios emergentes” de uma possível transmissão através do ar.

A OMS não mudou sua orientação a respeito da transmissão do coronavírus pelo ar, disse um funcionário da entidade nesta segunda-feira. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).