Cristian Trentin vende startup curitibana Send4 para a ClearSale

Divulgação

Leo Frade e Cristian Trentin, cofundadores da Send4

Em 2014, quando foi eleito Under 30 pela FORBES Brasil, Cristian Trentin tinha 30 anos e estava à frente da EcoBike Courier, empresa de entregas que usava bicicletas como meio de transporte da qual era fundador. Dois anos depois, vendeu a operação nacional (por valor não revelado) para um franqueado de Curitiba.

Logo em seguida, fundou a Send4, outra empresa de entregas, mas sob o conceito de parcel shop, no qual o consumidor podia retirar o produto comprado no e-commerce em uma loja física, reduzindo o valor do frete e os gargalos para transportadoras, comércios eletrônicos e consumidores. Depois de um ano operando nesse modelo, a empresa “pivotou”, como dizem no ecossistema de inovação, e se concentrou em trocas e devoluções, um dos principais problemas do varejo. Duas rodadas de investimento, que totalizaram R$ 1,7 milhão, clientes do porte da Decathlon, Grendene e Reserva e um programa de aceleração no Vale do Silício depois, a Send4 foi vendida, em janeiro, para a ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude que possui uma força de trabalho formada por mais de 1.700 profissionais.

“A venda é estratégica pois nos permite acessar novos mercados, principalmente o internacional, que é nosso foco para 2020”, explica Trentin, sem revelar os valores da negociação, mas explicando que, por contrato, acompanhará a operação pelos próximos três anos na função de COO (Chief Operating Officer), com total autonomia. Leonardo Frade, cofundador ao lado de Trentin, ocupará o cargo de CEO da Send4.

Com a união dos negócios, as empresas passam a oferecer uma aliança estratégica em todo o processo de compra online. Hoje, a ClearSale é responsável por 85% das análises de informações antifraude do comércio online e já evitou mais de R$ 1,4 bilhão em prejuízos para o varejo eletrônico em 2018. A Send4 é a responsável pelo Troque Fácil, plataforma que facilita o processo de trocas, conseguindo garantir a conversão das devoluções em até 75%, quando a média de mercado é de 30%.

Desde o início das operações, a empresa, que conta atualmente com 32 funcionários, atendeu mais de 260 mil consumidores de e-commerces, movimentando R$ 60 milhões em valor de produtos trocados ou devolvidos. No ano passado, registrou um crescimento de 837% em relação a 2018 e, para 2020, a expectativa é algo bem próximo disso. No que diz respeito ao número de clientes, a ideia é passar dos atuais 200 para 400. “Nosso objetivo é não só expandir, mas trazer mais confiabilidade nos processos de trocas, além de possibilitar nossa penetração junto a grandes players”, diz o empreendedor.

Para Bernardo Lustosa, CEO da ClearSale, a aquisição vai permitir ampliar o escopo de atuação da empresa na prevenção de fraudes no varejo, além de tornar o processo de trocas mais rápido e seguro. “Atualmente, existem dois gargalos na logística reversa: um está associado aos riscos de fraudes do processo, com perdas tanto para o cliente como para o varejista, e o outro na experiência do cliente nos processos de troca”, diz.

Para este ano, também está prevista a internacionalização da empresa, principalmente em direção ao México. “Além da complementariedade de atuação no varejo, a ClearSale vai suportar as áreas funcionais da Send4, como a de recursos humanos e jurídica”, explica Trentin. A empresa acabou de se mudar para um novo escritório, com o dobro do tamanho, na capital paranaense.

Sobre seus próximos passos ao fim dos 36 meses, Trentin diz que pode optar por continuar no negócio ou partir para algo novo. Também continua de olho no varejo, setor com o qual tem maior intimidade e que foi “o único que cresceu na crise”. Mas não descarta uma análise mais aprofundada em outros segmentos, principalmente em startups de automatização de tarefas e da área jurídica. “Além disso, também estou analisando outras oportunidades em que possa atuar não apenas com meu know how, mas também como investidor”, avisa.

LEIA MAIS: “Tem dia que você acorda herói e dorme se sentindo fracassado”, diz Cristian Trentin sobre empreender

****
Reprodução Forbes

Startup que suporta Tik Tok e YouTube é avaliada em US$ 1,6 bilhão

A tecnologia usada para a transmissão de clipes do YouTube em um avião ou do TikTok nas telas dos automóveis é fornecida pela HeadSpin, que atua para garantir que o conteúdo não congele ou fique atrasado. Embora não tenha a mesma notoriedade das plataformas de streaming, a empresa acaba de ganhar o status de unicórnio, com uma avaliação de US$ 1,6 bilhão atingida graças a investimentos de US$ 60 milhões da Série C anunciados na última terça-feira (25). A rodada foi liderada pela Dell Technologies Capital e Iconiq Capital, e inclui também a Tiger Global Management, Kearny Jackson e Alpha Square Group.

Fundada em 2015 por Manish Lachwani e Brien Colwell (foto), a HeadSpin começou quando o cofundador do Yahoo, Jerry Yang, apresentou Lachwani, que havia vendido um negócio de nuvem móvel ao Google no ano anterior, a Colwell, que estava trabalhando em uma startup apoiada pela Y Combinator. A dupla levantou seu primeiro financiamento quando ainda nem tinha sido batizada. Diz a história da empresa que o nome foi inspirado numa reclamação da filha de Lachwani, Anya, sobre a dificuldade de carregar vídeos do YouTube num tablet no aeroporto.

****
Divulgação

Gabriela Almeida de Araújo assume como CBO da Meeta Solutions

A Meeta Solutions, empresa brasileira que fornece soluções para aprimorar o relacionamento com o cliente, anunciou a chegada de Gabriela Almeida de Araújo (foto) como CBO (Chief Business Officer). A contratação da executiva, que acumula mais de duas décadas de experiência em tecnologia e customer experience, faz parte do plano de crescimento da companhia, que incluiu, ainda, a reestruturação da equipe, a ampliação do board e a diversificação dos setores de atuação.

“Desde o ano passado estamos nos reestruturando, investindo em P&D e reforçando nossa estratégia comercial. A meta de crescimento para próximos cinco anos está apoiada no fortalecimento em mercados em que já somos fortes, como telecom e mídia e TV por assinatura, mas sobretudo na ampliação para áreas como saúde, serviços financeiros, seguros e e-commerce, por exemplo”, explica Marcelo Openheimer, CEO da Meeta Solutions. A expectativa é crescer 30% em 2020 e chegar a um faturamento de R$ 40 milhões.

****
Divulgação

Porsche abre centro de carregamento para carros elétricos em Leipzig

A unidade da Porsche em Leipzig, na Alemanha, está expandindo sua infraestrutura de carregamento de veículos elétricos na região central do país com um novo parque, batizado de Porsche Turbo Charging. A capacidade total da instalação é de sete megawatts, o que significa que este é o parque do tipo mais poderoso da Europa, operado inteiramente com eletricidade de fontes renováveis de energia.

O local funciona sete dias por semana, ininterruptamente, para clientes de todas as marcas de veículos. Durante o piloto, em operação até o final de março, o carregamento rápido será gratuito para todos os usuários. Depois disso, o serviço será cobrado.

O Porsche Turbo Charging foi desenvolvido pela Porsche Engineering e define novos padrões em termos de tempo de carregamento: dependendo do modelo do veículo, até 100 quilômetros podem ser carregados em apenas cinco minutos.

A fábrica da Porsche em Leipzig está, atualmente, preparando-se para a mobilidade elétrica. Entre outras iniciativas, uma unidade adicional está sendo construída para a próxima geração do Macan, que sairá da linha de produção como uma série de versões totalmente elétricas.

****
Startup catarinense recebe aporte de R$ 4,2 milhões

A startup catarinense KM Online, dona de um software para reembolsos de despesas e quilometragem via aplicativo, acaba de receber um aporte de R$ 4,2 milhões da XMS Partners Soluções Financeiras e Investimentos. Os recursos serão utilizados para financiar o plano estratégico de inovação e crescimento da empresa, com o aprimoramento da plataforma tecnológica, inclusão de novas funcionalidades e fortalecimento do time comercial.

Fundada no fim de 2017 por André Apollaro e Maria Carolina de Bona, a startup conta, atualmente, com 100 clientes e espera triplicar o faturamento em 2020. A empresa foi uma das pioneiras no controle da quilometragem por app para reduzir custos de operação dos colaboradores de equipes externas, que utilizam o recurso para registrar suas visitas e enviar um relatório de gastos de forma rápida e simples para os gestores acompanharem.

Outra frente de atuação é o processo de reembolso de despesas. O aplicativo permite fotografar as notas fiscais de gastos do dia a dia e solicitar o reembolso com agilidade e confiabilidade nas informações, pois a plataforma utiliza inteligência artificial (OCR) para reconhecer os dados do documento e inserir os gastos de forma automática.

Como próximos passos, a startup quer atender a demanda por serviços financeiros integrados (com o lançamento de um cartão corporativo) e aplicação de machine learning, tecnologia pela qual a plataforma aprenderá com os usuários e poderá automatizar cada vez mais processos.

****
Divulgação

Metrô do Rio passa a aceitar cartões de débito e pré-pagos da Visa

Desde o último dia 19, cariocas e turistas já podem usar seus cartões de débito e pré-pagos Visa que possuem a tecnologia de pagamento por aproximação (NFC) em todas as 41 estações do metrô do Rio de Janeiro. A cobrança da tarifa ocorre diretamente da conta corrente, sem custo adicional ou taxas, ao final de cada dia de uso.

“O pagamento por aproximação permite levar inovação e praticidade ao dia a dia de milhares de pessoas. Com o débito, vamos poder incluir ainda mais cariocas na solução e ampliar o acesso ao transporte público de forma mais rápida e conveniente”, diz Marcelo Sarralha, diretor executivo de soluções da Visa do Brasil, lembrando que os cartões de crédito já são aceitos desde abril do ano passado.

Leia mais: Como a mudança no pagamento dos transportes pode desafogar as grandes cidades

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).