Fundação Dom Cabral, Futurecom, Amaro e Logicalis

Arte sobre foto/Getty Images

– A Fundação Dom Cabral foi classificada a 9ª melhor escola de negócios do mundo pelo ranking mundial de instituições publicado pelo jornal britânico “Financial Times”. A escola sediada em Nova Lima (MG) foi classificada a melhor do Brasil e da América Latina. Segundo a FDC, a pandemia pede que negócios sejam propulsores de desenvolvimento econômico e bem-estar social e este é um princípio do currículo desde a formação da instituição, que enfatiza questões como a colaboração, cocriação e capacidade de adaptação em diversos cenários;

– A Futurecom, um dos maiores eventos de tecnologia do Brasil, segue com planos de realizar a conferência em outubro deste ano. O evento, que costuma atrair cerca de 30 mil pessoas, aconteceria entre 20 e 22 de outubro. Agora, a previsão é uma semana depois, com a abertura ocorrendo no dia 26 e o congresso e feira acontecendo entre os dias 27 e 29 de outubro, segundo a organizadora da Futurecom, a Informa Markets;

Divulgação

– A fashiontech Amaro criou uma modelo virtual, a Mara, que estrelará os looks e lançamentos da marca em campanhas digitais. Segundo a empresa, a iniciativa foi introduzida como forma de suprir as demandas de marketing e preservar os colaboradores e parceiros envolvidos em sessões de fotos presenciais durante a pandemia. O projeto da avatar foi desenvolvido em parceria com a Big Studios, produtora de conteúdo digital e animação 3D, e foi criada com base em dados levantados pelo time de business intelligence da marca. Depois da retomada às atividades de marketing, a modelo virtual deve assumir o papel de chatbot, alimentada por um motor de inteligência artificial;

– A empresa de serviços de tecnologia Logicalis está com mais de 3 mil funcionários na América Latina trabalhando de forma remota e diz que operar desta forma só foi possível por conta de um plano de continuidade de negócios iniciado há dois anos. Segundo a empresa, o processo incluiu mudanças organizacionais e melhorias na infraestrutura necessária para o home office. Isso contempla a implantação de uma rede SD-WAN, que permite a priorização e o roteamento da conectividade para todos os escritórios e data centers da empresa, e garante o gerenciamento de tráfego, assim como uma experiência similar à do escritório. A empresa, que tem 1500 colaboradores no Brasil, havia feito uma migração de todos os seus sistemas para a nuvem e forneceu laptops para todos os funcionários no ano passado. Para a pandemia, adquiriu modems 4G para os profissionais que não tinham internet residencial.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).