Twitter diz que hackers baixaram dados de até 8 contas não-verificadas

Reuters
Reuters

Os hackers acessaram os sistemas internos do Twitter para sequestrar algumas das vozes mais influentes da plataforma

O Twitter disse, hoje (18), que hackers conseguiram baixar informações de até oito contas envolvidas na invasão ao seu sistema esta semana, mas que nenhuma delas era verificada.

A empresa afirmou que os hackers visaram 130 contas. Conseguiram reiniciar as senhas, assumir o controle e tuitar por meio de 45 delas.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Os hackers acessaram os sistemas internos do Twitter para sequestrar algumas das vozes mais influentes da plataforma, como o candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, a estrela de televisão Kim Kardashian, o ex-presidente norte-americano Barack Obama e o bilionário Elon Musk, e usá-las para pedir moedas digitais.

Registros públicos mostram que os golpistas receberam mais de US$ 100 mil em criptomoedas.

Contas famosas que foram hackeados incluem também o rapper Kanye West, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, o investidor Warren Buffett, o cofundador da Microsoft, Bill Gates, e as contas corporativas de Uber e Apple.

Em seu último comunicado, o Twitter afirmou que os hackers “manipularam um pequeno número de funcionários” para ganhar acesso às ferramentas internas de suporte utilizadas no ataque.

A empresa afirmou ainda que estava restringindo alguns dos detalhes do ataque enquanto continua investigando e reiterou que trabalha com os donos das contas envolvidas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).