Uber compra Postmates em acordo de US$ 2,65 bilhões

Ginnette Riquelme/Reuters
Ginnette Riquelme/Reuters

A Uber ofereceu um prêmio de cerca de 10% sobre a última avaliação de US$ 2,4 bilhões da Postmates

A Uber Technologies fez hoje (6) uma oferta para comprar a Postmates em um acordo de US$ 2,65 bilhões buscando expandir seu alcance no setor de serviços de entregas de comida, conforme mais pessoas fazem pedidos de suas casas em meio à pandemia de coronavírus.

A Uber, pressionada por seus principais negócios de transporte em todo o mundo, ofereceu um prêmio de cerca de 10% sobre a última avaliação de US$ 2,4 bilhões da Postmates.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Movile, dona da iFood, vai às compras e reinventa modelos de negócio

Atualmente, a Uber estima que irá emitir cerca de 84 milhões de ações ordinárias por 100% do patrimônio diluído da Postmates, informou a empresa em comunicado.

Os conselhos de ambas as empresas aprovaram a transação e os acionistas, que possuem a maioria das ações em circulação da Postmates, se comprometeram a apoiar o acordo, acrescentou.

Fundada em 2011, a Postmates respondeu por 8% do mercado de entrega de refeições nos EUA em maio, com seu maior rival DoorDash liderando com uma participação de mercado de 44%, segundo a empresa de análise Second Measure.

A Postmates em setembro captou US$ 225 milhões em uma rodada privada de investimento. A rival Doordash captou US$ 400 milhões de investidores privados, com uma avaliação de US$ 16 bilhões em junho. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).