Como investir durante uma recessão: veja ações escolhidas por especialistas

Turbulência econômica está levando investidores a ficarem com ações que historicamente tiveram um bom desempenho durante crises passadas, como empresas de consumo e saúde

Sergei Klebnikov
Compartilhe esta publicação:
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Empresas de alguns setores tiveram bom desempenho em crises passadas

Acessibilidade


Especialistas estão cada vez mais alertando que uma recessão parece “inevitável” à medida em que o Federal Reserve (Banco Central dos EUA) luta para combater a inflação crescente, elevando as taxas de juros no ritmo mais rápido em 28 anos, com um aumento de 75 pontos-base anunciado no início da semana passada.

As principais empresas de Wall Street agora estão aconselhando os clientes a enfrentar a crise comprando ações defensivas com margens estáveis, fluxo de caixa estável e dividendos sólidos, especialmente em setores como serviços públicos e alimentos básicos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A história mostra que, em recessões passadas, as ações de consumo e de saúde tiveram um desempenho superior enquanto o resto do mercado lutava: nas últimas quatro recessões desde 1990, eles foram os únicos dois setores positivos no S&P 500, de acordo com a CFRA Research. Os declínios mais acentuados do mercado geralmente estão entre os “grupos economicamente mais sensíveis”, como companhias aéreas, fabricantes de automóveis, hotéis e cassinos, diz Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research.

Sub-indústrias específicas e ações de varejo de produtos de casa, como a Home Depot, tiveram os melhores desempenhos. Enquanto isso, outras que se saíram bem incluem empresas de calçados como Nike, empresas de TI como Accenture e cervejarias, como a Boston Beer.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Outras grande companhias tiveram resultados positivos, incluindo McDonald’s, Walmart, General Mills, JM Smucker Co., Chesapeake Utilities e National Beverage Corp., de acordo com dados da FactSet.

Analistas do Wells Fargo disseram em um relatório recente que os investidores devem “favorecer uma alocação total e ponderada de mercado” de bens de consumo e ações de serviços públicos, graças à sua “resiliência tradicional em uma economia em desaceleração”. A empresa espera especificamente que companhias de alimentos básicos – varejistas como Coca-Cola, General Mills e Kraft Heinz – se beneficiem de “um consumidor cada vez mais consciente do valor”.

Especialistas também gostam de ações de energia, que foram o setor de mercado com melhor desempenho este ano graças ao aumento nos preços do petróleo desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, no final de fevereiro. Com os preços subindo ainda mais nas últimas semanas, empresas como Chevron e Occidental Petroleum – favoritas do investidor bilionário Warren Buffett – podem ver as ações subindo.

“Embora o aumento das taxas de juros deva continuar a fornecer um vento favorável para ações de valor, os dados também suportam uma perspectiva positiva para ações em crescimento”, diz Brad McMillan, diretor de investimentos da Commonwealth Financial Network. Em meio aos recentes declínios do mercado, certos setores de crescimento, como tecnologia e consumo cíclico, tornaram-se “mais atraentes”.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: