Nasa vai investir R$ 180 milhões em uma nova missão lunar

A missão robótica VISE será lançada em 2026 para estudar a composição de duas rochas de magma resfriado

Jamie Carter
Compartilhe esta publicação:
Divulgação/NASA
Divulgação/NASA

Vulcões na Lua que voltarão a ser alvo de estudo da Agência Espacial

Acessibilidade


A Nasa aprovou uma missão para explorar uma região da Lua nunca antes visitada, em um esforço para entender um mistério geológico – e ajudar futuros colonos lunares. A missão robótica Lunar-VISE (Lunar Vulkan Imaging and Spectroscopy Explorer) custará R$ 181 milhões (US$ 35 milhões) e será lançada em 2026 para estudar a composição química dos Gruithuisen Domes, duas misteriosas características vulcânicas que parecem ser feitas de rocha endurecida de magma resfriado – possivelmente como o Monte St. Helens no estado de Washington.

No entanto, formações como as cúpulas de Gruithuisen na Terra exigem oceanos e placas tectônicas, nenhuma das quais a Lua tem ou teve. Eles se formaram e evoluíram, acredita-se que as cúpulas, que parecem ser quentes, possam ser uma fonte de calor para a exploração a longo prazo da Lua. A superfície lunar ao redor dos Gruithuisen Domes é como nada visto antes pela Nasa. As cúpulas de Gruithuisen estão na borda ocidental da bacia do Mare Imbrium, no noroeste da Lua, como a vemos da Terra, que se parece com isso.

Leia mais: Superlua de Morango: veja imagens incríveis do fenômeno pelo mundo

“Existe potencialmente um tesouro de conhecimento esperando para ser descoberto, o que não apenas nos ajudará a informar futuras explorações robóticas e humanas da Lua, mas também pode nos ajudar a entender melhor a história de nosso próprio planeta, bem como de outros planetas no planeta sistema solar”, disse Donaldson Hanna, o principal investigador do Lunar-VISE, na Universidade da Flórida Central.

A missão foi uma das duas a serem realizadas através do programa Payloads and Research Investigations on the Surface of the Moon (PRISM) da Nasa. Faz parte do plano da agência espacial usar mais empresas comerciais para levar cargas úteis à Lua antes de seu programa Artemis de missões tripuladas programadas para colocar dois astronautas na Lua em 2024.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A outra missão que agora irá para a Lua será o Lunar Explorer Instrument for Space Biology Applications (LEIA), é um pequeno dispositivo baseado em CubeSat que entregará uma levedura à superfície lunar e então estudará sua resposta à radiação e gravidade lunar. Isso ajudará os cientistas a calcular como os humanos na Lua a longo prazo podem ter seu DNA danificado pela gravidade parcial e pela radiação do espaço profundo.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: