Fixação de açúcar alcança 21% da safra 2022/23, diz Archer

Peter Nicholls/Reuters
Peter Nicholls/Reuters

A Archer Consulting afirmou que as usinas foram capazes de fixar vendas em uma média de R$ 1,920 por tonelada em maio

As vendas antecipadas de açúcar do Brasil da safra 2022/23 atingiram ao final de maio 5,23 milhões de toneladas, o equivalente a 20,9% da exportação esperada, disse a consultoria Archer Consulting hoje (17).

No mês anterior, quando a empresa divulgou seu segundo levantamento para a próxima temporada, a fixação de vendas pelas usinas atingia 16,2% da exportação projetada. A safra 2022/23 começa em abril do ano que vem.

LEIA MAIS: Como nanocristais da palha de cana-de-açúcar podem ajudar a indústria petroquímica

“No mês de maio, pelo nosso modelo, as usinas fixaram pouco mais de 1,2 milhão de toneladas de açúcar, aproveitando as novas máximas alcançadas pelo mercado… apesar de um real mais fortalecido em relação à moeda norte-americana”, disse em nota o sócio-diretor da consultoria, Arnaldo Luiz Correa.

A Archer Consulting afirmou que as usinas foram capazes de fixar vendas em uma média de R$ 1,920 por tonelada em maio, valor inferior ao de abril, quando obtiveram média de R$ 1,962 por tonelada. “Ainda assim um excelente nível de remuneração”, comentou Correa.

O preço médio acumulado no período de outubro de 2020 a maio de 2021 atingiu US$ 0,1425 por libra-peso, sem considerar o prêmio de polarização. O valor médio da fixação, acrescentou a Archer, é de R$ 1,80 por tonelada (FOB Santos), já incluindo o prêmio de polarização. (Com Reuters)


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).