Como um CFO de ‘Smart Farming’ ajuda a impulsionar o futuro dos alimentos

Tom Constantino, da norte-americana Irox Ox, conta como atrai novos talentos e investidores para as fazendas tecnológicas .

Jeff Thomson
Compartilhe esta publicação:
Oxiron/divulgação
Oxiron/divulgação

Equipamentos em ação na Iron Ox, fazenda inteligente que usa robôs e IA em um sistema de cultivo hidropônico

Acessibilidade


Enquanto trabalhamos para reorientar a economia global para mitigar as mudanças climáticas, poucos setores oferecem mais desafios do que a agricultura. Com a produção de alimentos contribuindo enormemente para as emissões de gases de efeito estufa, é urgente que a humanidade encontre novas maneiras de se alimentar.

A Iron Ox, uma empresa inovadora que emprega tecnologia de ponta para tornar a agricultura mais sustentável, está no limiar do que pode ser uma transformação revolucionária dessa indústria. Falei recentemente com o CFO da empresa, Tom Constantino, sobre a missão empresarial sustentável do Iron Ox e o papel que ele e sua equipe de finanças desempenham nela, uma conversa que também se sobrepôs à relação entre finanças e mudança tecnológica e como as empresas podem recrutar e reter o talento necessário.

LEIA TAMBÉM: Ração que reduz emissões de metano do gado recebe aprovação provisória na UE

Jeff Thomson: Iron Ox é uma fazenda inteligente que usa robôs e IA em um sistema de cultivo hidropônico para criar benefícios em relação à agricultura tradicional, que incluem menos uso de água e energia e maiores rendimentos por acre. Inovação e sustentabilidade estão no centro do modelo de negócios da sua empresa. Como o trabalho que você faz em finanças viabiliza esse nível de inovação e prática empresarial sustentável? Em um espaço relativamente novo como a agricultura inteligente, como você ajustou as atividades contábeis e financeiras tradicionais para se adequar ao seu modelo de negócios e proposta de valor exclusivos?

Divulgação
Divulgação

“CFOs ganham a confiança dos investidores e ganham acesso ao capital quando comunicam claramente”, afirma Tom Constantino, da Iron Ox

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Tom Constantino: Na Iron Ox, projetamos nossas estufas exclusivas para serem ambiental e economicamente sustentáveis. Nossas atividades financeiras se concentram na construção da plataforma analítica e estrutura de decisão para permitir que a empresa atinja esses objetivos. Nossos planos e plataforma de métricas nos orientam para viabilizar investimentos, práticas operacionais e parcerias, e desenvolver propriedade intelectual que nos permitirá fazer o bem para o planeta e cultivar um retorno financeiro saudável.

Um aspecto interessante do nosso modelo de negócios para um profissional de finanças são os ambientes de produção em várias camadas: temos o processo de crescimento que resulta em comida deliciosa, fabricação de robótica permitindo automação e construção de estufa para abrigar as operações. Cada um deles tem seu próprio ambiente de produção e é aprimorado com habilidades financeiras de unidades de negócios focadas em operações.

Thomson: A tecnologia que você usa é de ponta e exige capital intensivo, mas você é adepto da atração de capital, fechando recentemente sua rodada de investimentos da Série C de US$ 53 milhões, elevando seu financiamento total até agora para US$ 98 milhões. Como CFO, como você ajuda a atrair capital para uma empresa que ainda está desenvolvendo tecnologia de ponta? Que habilidades você acha que os CFOs precisam para construir melhores relações com investidores e mercados de capitais?

Constantino: A participação de investidores de classe mundial em nossa rodada da Série C, que reconhecem nosso potencial de causar um impacto significativo no meio ambiente, demonstra confiança plena em nossa abordagem única. Estamos extremamente entusiasmados com o progresso que nossa equipe fez este ano na construção de nossa estufa de 49.700 metros quadrados no Texas, que deve gerar receita ainda este ano. A natureza de capital intensivo de nossas estufas pode ser útil na posse de ativos alavancados para a geração de capital.

Os CFOs ganham a confiança dos investidores e ganham acesso ao capital quando comunicam claramente as metas e objetivos do negócio, empregam capital de forma eficaz para atender a essas metas e objetivos, demonstram pontos de prova no alvo com metas declaradas e simplificam as complexidades para os investidores.

Thomson: O crescimento e a expansão de sua empresa são altamente dependentes de sua capacidade de atrair e reter os melhores talentos em funções altamente técnicas em um cenário de escassez de talentos qualificados — ou seja, ciência de dados, robótica, ciência de plantas. Essa mesma dinâmica está em ação dentro da própria função de finanças em empresas ao redor do mundo, onde profissionais de finanças com experiência em análise de dados, IA e RPA são desejáveis, mas difíceis de encontrar. Como líder sênior, como você constrói uma cultura em que os melhores talentos querem trabalhar para o Iron Ox? O que você procura em potenciais contratações de finanças e contabilidade? Quanto peso você atribui às habilidades técnicas em comparação com outras habilidades?

Constantino: O recente anúncio sobre nossa rodada da Série C gerou um enorme interesse por parte dos candidatos na Iron Ox. Assim como os investidores, os candidatos com os melhores talentos procuram ambientes onde possam ter sucesso. Procuramos talentos que tenham paixão por nossa missão, habilidades técnicas de ponta e adequação cultural certa. Fortes habilidades técnicas de finanças são transferíveis para todos os setores. No entanto, possuir uma paixão por nossa missão é único, mas obrigatório.

Precisamos de solucionadores de problemas de mente positiva que possuam uma força inabalável de caráter, não apenas como indivíduos, mas como uma equipe. Durante o processo de entrevista e por meio de verificações de referência, os principais candidatos demonstram a capacidade de abordar questões e tópicos desafiadores para promover uma abordagem de equipe positiva e estão focados em obter a melhor resposta para a empresa. É importante saber quando ser humilde, assertivo, ter uma grande curiosidade intelectual e ser voltado para os resultados enquanto inspira os outros a alcançar o melhor resultado para a empresa. Colocamos tanta ênfase no ajuste cultural correto quanto colocamos nas habilidades técnicas.

*Jeff Thomson é colaborador da Forbes EUA, presidente e CEO do IMA (Institute of Management Accountants). Já foi CFO de vendas comerciais da AT&Te membro do conselho de diretores do COSO (Comitê de Organizações Patrocinadoras), que oferece orientação global sobre controles internos e gerenciamento de risco corporativo.

Compartilhe esta publicação: