Startup rompe a barreira de R$ 1 milhão em negócios para agricultores familiares

Como a Muda Meu Mundo, da cearense Priscila Veras, conecta pequenos produtores rurais a redes varejo, levando mais renda ao campo.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Startup Muda Meu Mundo conecta agricultores familiares a supermercados e incentiva boas práticas ambientais

Acessibilidade


Parceira de negócios como St Marché e Mercadinhos São Luiz, redes varejistas que atuam em grandes capitais,  a startup cearense Muda Meu Mundo está rompendo a barreira R$1 milhão em negócios para os agricultores familiares. O valor corresponde ao período entre janeiro e outubro deste ano.  Só para comparação, em 2018 a receita foi de R$ 150 mil e em 2019 foi de R$ 500 mil. Criada em 2017, a startup é um marketplace que conecta, atualmente, cerca de 160 produtores rurais a um grupo de redes de varejo de alimentos. 

“Estamos falando de uma disrupção no modelo tradicional de comercialização, com o uso de uma tecnologia que engaja pequenos produtores rurais a comercializar com o varejo, sem nenhum intermediário, ao mesmo tempo em que consegue gerar benefícios de impacto positivo social e ambiental”, diz Priscilla Veras, fundadora e CEO da Muda Meu Mundo. “Já ajudamos a mudar a vida de mais de 200 famílias no campo desde a fundação  e estamos contribuindo para uma maior oferta de legumes, verduras e frutas frescas, a preços mais acessíveis.” 

Para criar a startup, Priscila contou com o apoio do Cubo Itaú, mas sua experiência com questões sociais começou bem antes. Formada em pedagogia e políticas sociais,  ela já atuou por sete anos na Compassion Internacional, ONG que trabalha com crianças em situação vulnerável.

LEIA TAMBÉM: Foodtech Beeva aposta na apicultura da caatinga brasileira

A Muda Meu Mundo está presente nos estados de São Paulo e Ceará, conectando  35 lojas de supermercados como Carrefour, Pão de Açúcar, Hortifruti Natural da Terra, além de St Marché e Mercadinhos São Luiz. A plataforma digital funciona como se fosse um “Tinder” entre o produtor e o ponto de venda a partir das características do que é cultivado no campo e as necessidades do varejo. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além dessa conexão, a startup também orienta os produtores a reflorestar áreas nas propriedades, a usar água com responsabilidade, a utilizar métodos que reduzam o CO2 e ter atenção especial no tratamento dos animais, visando o bem-estar. Para confirmar as boas práticas, a plataforma fornece uma cartilha em que os produtores se orientam por um score para cada um desses fatores.

 

Compartilhe esta publicação: