Chuvas atigem 127 mil produtores de Minas Gerais, com 23% da área de milho verão afetada

Na safra de verão, estima-se que a área mineira de milho foi 23,3% afetada, especialmente nas regiões norte, nordeste e central.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:
Plantação de milho em Minas Gerais
Plantação de milho em Minas Gerais

Na safra de verão, estima-se que a área mineira de milho foi 23,3% afetada, especialmente nas regiões norte, nordeste e central

Acessibilidade


Cerca de 127 mil produtores rurais de Minas Gerais sofreram algum tipo de dano por causa das chuvas nas últimas semanas, estimou a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater-MG) hoje (12).

Na safra de verão, estima-se que a área mineira de milho foi 23,3% afetada, especialmente nas regiões norte, nordeste e central, indicou o levantamento. A produção de feijão foi a mais afetada, com danos a 42,2% da área a ser colhida.

A Emater não entrou em detalhes sobre eventuais perdas em volumes.

A primeira safra de milho de Minas Gerais foi estimada na véspera em 5,2 mihões de toneladas, o que coloca com folga o Estado como o maior produtor do cereal no verão, após o Rio Grande do Sul sofrer perdas pela seca, de acordo com dados divulgados na véspera pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Há também problemas registrados nas produções de hortaliças, avicultura, suinocultura e pecuária de Minas Gerais.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Desde o início das chuvas em dezembro, os técnicos da Emater-MG estão fazendo o levantamento dessas áreas afetadas e das estradas vicinais com problemas”, disse em nota o diretor técnico da Emater-MG, Gelson Soares Lemes.

Segundo ele, todas essas informações são encaminhadas ao governo do Estado e às prefeituras, o que contribui na elaboração de decretos municipais de emergência e na elaboração de ações emergenciais.

“A Emater também está apoiando os produtores rurais no controle fitossanitário das lavouras, pois neste período de chuvas, aumenta a incidência de doenças fúngicas nas plantas”, acrescentou.

Compartilhe esta publicação: