Cargill reduzirá negócios na Rússia; operações de alimentos e ração animal seguem abertas

A Cargill está reduzindo suas atividades comerciais na Rússia e interrompeu os investimentos no país em resposta à invasão russa na Ucrânia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Denis Balibouse/Reuters
Denis Balibouse/Reuters

Empresas agrícolas, como a Cargill, têm sido mais lentas em anunciar que estão reduzindo as operações russas

Acessibilidade


A trading global de commodities agrícolas Cargill disse hoje (11) que está reduzindo suas atividades comerciais na Rússia e interrompeu os investimentos no país, mas continuará operando instalações “essenciais” de alimentos e ração animal no país.

As empresas agrícolas têm sido mais lentas do que as petrolíferas e varejistas em anunciar que estão reduzindo as operações russas após a invasão da Ucrânia por Moscou no dia 24 de fevereiro, que foi quase universalmente condenada.

“A comida é um direito humano básico e nunca deve ser usada como arma”, disse a Cargill, uma empresa privada com sede nos Estados Unidos, em comunicado.

A Cargill removeu esta semana detalhes sobre seus negócios na Rússia e na Ucrânia de seu site. O site informou anteriormente que a companhia emprega cerca de 2.500 pessoas na Rússia, com investimentos de mais de R$5,5 bilhões em agroprocessamento.

Um porta-voz da Cargill disse que a informação foi removida porque o valor do investimento não estava correto. A empresa se recusou a fornecer um número atualizado sobre os investimentos russos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

VEJA TAMBÉM: Quais são as sanções contra a Rússia e seus impactos econômicos?

Compartilhe esta publicação: