Ucrânia vai semear o máximo possível de safras neste ano, diz presidente

O país é um grande produtor e exportador global de grãos e óleos vegetais.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Valentyn Ogirenko/Reuters
Valentyn Ogirenko/Reuters

Colheita em Hrebeni, região de Kiev, Ucrânia

Acessibilidade


A Ucrânia deve semear o máximo possível nesta primavera no Hemisfério Norte, apesar da invasão russa, disse o presidente Volodymyr Zelenskiy hoje (11).

“Nessa primavera, tanto quanto em qualquer primavera, devemos fazer uma campanha de semeadura completa. Tanto quanto possível”, disse Zelenskiy em um comunicado televisionado.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Porque é sobre a vida. Sobre a nossa vida. Sobre o nosso futuro”, acrescentou.

A Ucrânia é um grande produtor e exportador global de grãos e óleos vegetais, mas autoridades e agricultores esperam um declínio na colheita e nas exportações de 2022 devido à guerra.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O sindicato dos produtores agrícolas da Ucrânia disse na sexta-feira que os agricultores provavelmente reduzirão a área semeada com girassol, colza e milho este ano, substituindo-os por cereais –trigo sarraceno, aveia e milheto.

“A ênfase será nas colheitas de primavera que serão colhidas no verão, porque não sabemos qual será a situação (no futuro)”, disse Denys Marchuk, vice-chefe do Conselho Agrário Ucraniano, à televisão local.

“Para a nutrição completa de sua população e das forças armadas, mais ênfase será colocada no trigo sarraceno, ervilhas, esses tipos de culturas que permitirão a colheita para que a Ucrânia seja totalmente abastecida com alimentos”, disse ele.

A Ucrânia tradicionalmente começa o trabalho de campo da primavera no final de fevereiro ou em março. Os agricultores dizem que começarão a semear em áreas seguras assim que puderem.

O vice-ministro da Agricultura, Taras Vysotskiy, disse que a escassez de combustível induzida pela guerra seria o principal problema para os agricultores, pois eles têm sementes suficientes para prosseguir com a semeadura.

A Ucrânia já suspendeu as exportações de centeio, aveia, milheto, trigo sarraceno, sal, açúcar e carne diante da invasão. Também introduziu licenças para exportações de trigo, milho e óleo de girassol.

A Ucrânia, maior exportador mundial de óleo de girassol, previu antes da invasão que poderia exportar mais de 60 milhões de toneladas de grãos, incluindo 33 milhões de toneladas de milho e 23 milhões de toneladas de trigo, na temporada 2021/22 julho-junho.

O Ministério da Agricultura disse que a Ucrânia havia exportado 43 milhões de toneladas de vários grãos na temporada 2021/22 até 23 de fevereiro, um dia antes da invasão.

A Ucrânia aumentou a produção de grãos em 32% em 2021, para 85,7 milhões de toneladas.

Compartilhe esta publicação: