UE corta previsão de safra de trigo 2022/23, mas exportação deve ser recorde

Nas estimativas mensais de oferta e demanda de cereais, a Comissão reduziu sua perspectiva para produção utilizável de trigo mole na temporada de julho de 2022 a junho de 2023 para 130,1 milhões de toneladas.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Vincent Mundy/Reuters
Vincent Mundy/Reuters

Nas estimativas mensais de oferta e demanda de cereais, a Comissão reduziu sua perspectiva para produção utilizável de trigo mole na temporada de julho de 2022 a junho de 2023

Acessibilidade


A Comissão Europeia cortou sua previsão para a colheita de trigo da União Europeia em 2022/23 hoje, mas manteve sua projeção de exportações recordes da UE, já que a guerra vem interrompendo o fornecimento da Ucrânia.

Nas estimativas mensais de oferta e demanda de cereais, a Comissão reduziu sua perspectiva para produção utilizável de trigo mole na temporada de julho de 2022 a junho de 2023 para 130,1 milhões de toneladas, ante 131,3 milhões de toneladas anteriormente.

A nova previsão de colheita, que a Comissão atribuiu a revisões para França e Suécia, ficou quase no mesmo nível da produção em 2021/22, de 130,0 milhões de toneladas.

A invasão russa da Ucrânia, há dois meses, paralisou exportações massivas de safras ucranianas, levando a preços recordes de trigo e oleaginosas na Europa. [GRA/UE]

A Comissão manteve sua previsão para as exportações de trigo mole da UE em 2022/23 em 40 milhões de toneladas, o que seria um recorde histórico para o bloco.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Após uma revisão para cima da oferta esperada nesta temporada, a UE aumentou sua projeção de estoques de trigo mole até o final de 2022/23 para 12,6 milhões de toneladas, contra 12,2 milhões estimados um mês atrás.

Para 2021/22, os estoques finais de trigo mole aumentaram para 14,8 milhões de toneladas, de 13,2 milhões anteriormente, já que as exportações previstas foram cortadas em 1 milhão de toneladas, para 32 milhões, e as importações esperadas aumentaram 0,5 milhão de toneladas, para 2,5 milhões.

A expectativa de produção de cevada da UE para 2022/23 foi reduzida para 53,5 milhões de toneladas, ante 53,6 milhões, enquanto a produção de milho esperada foi reduzida para 73,4 milhões de toneladas, de 74 milhões.

Também refletindo a redução da oferta da Ucrânia, a Comissão manteve sua expectativa de uma queda acentuada nas importações de milho para 9 milhões de toneladas, de 14 milhões em 2021/22.

Em oleaginosas, o órgão da UE elevou sua previsão para a safra 2022/23 de colza para 18,3 milhões de toneladas, de 18,1 milhões anteriormente.

Para as importações de óleo de girassol da UE, que vêm principalmente da Ucrânia, a Comissão aumentou sua estimativa para 2021/22 de 1,5 milhão de toneladas para 1,9 milhão, mas reduziu sua projeção para 2022/23 de 0,9 milhão de toneladas para 0,8 milhão.

O órgão da UE não fez alterações em suas previsões de importação de óleo de palma para 2021/22 e 2022/23. A Indonésia, maior exportador mundial, criou incerteza sobre a disponibilidade do óleo vegetal ao introduzir um embargo de exportação.

Compartilhe esta publicação: