Tereos elevará "mix" para açúcar em 2022/23 a 65%, reduzindo a participação de etanol no mix

O mix de produção da companhia deve continuar mais açucareiro, afirmou a empresa, mas será ainda maior do que foi no ciclo passado.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Usina de processamento de cana em Valparaíso (SP)

Acessibilidade


A Tereos, uma das empresas líderes em produção de açúcar e etanol no Brasil, informou hoje (4) que elevará a destinação de cana para a produção do adoçante a 65% na temporada recém-iniciada 2022/23, reduzindo a participação do etanol no “mix” da matéria-prima para 35%.

A empresa disse ainda que iniciou a safra 22/23 com expectativa de processar 17 milhões de toneladas de cana, “após uma safra que apresentou desafios para o setor por conta das condições climáticas”.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O mix de produção da companhia deve continuar mais açucareiro, afirmou a empresa, mas será ainda maior do que foi no ciclo passado (62%), enquanto o etanol recebeu 38% da cana em 2021/22.

A companhia disse que iniciou a safra contando com “um bom nível de fixação de preços” de açúcar para o período, “acima do que foi registrado na safra 21/22, e que pode se manter para 23/24”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Temos uma perspectiva mais otimista, dadas as condições climáticas menos desafiadoras e preços de commodities em alta no momento. Com flexibilidade para trabalharmos nosso mix de produção, podemos nos adaptar a diferentes cenários”, afirmou o diretor-presidente da Tereos no Brasil, Pierre Santoul, em nota.

A Tereos é uma das líderes nos mercados de açúcar, álcool/etanol e amidos no mundo, com 44 unidades industriais e operações em 13 países. No noroeste do Estado de São Paulo, a Tereos Açúcar & Energia Brasil concentra suas sete unidades de processamento e duas refinarias.

A companhia disse também que “segue acreditando no potencial do etanol e em sua importância para a economia de baixo carbono”.

Recentemente, disse a Tereos, conquistou a certificação CARB, que permite a comercialização de etanol para a Califórnia, reforçando o baixo teor de emissão de GEEs (gases de efeito estufa) em sua produção do biocombustível.

A unidade de Tanabi da Tereos obteve o melhor resultado de CI (índice de intensidade de carbono) entre os produtores certificados de etanol de cana-de-açúcar do país, destacou.

A Tereos também investiu na construção de uma planta para produção de biogás na unidade Cruz Alta, “o que nesta safra permitirá acelerar os planos da empresa para a geração de biometano que irá abastecer caminhões da frota agrícola, reduzindo a dependência de combustíveis fósseis”.

Compartilhe esta publicação: