Mercado de fretes do agronegócio no Brasil sobe 27,4% até maio com grãos e fertilizantes

Fertilizantes foram os produtos mais transportados pelo segmento agrícola

Reuters
Compartilhe esta publicação:
REUTERS/Paulo Whitaker
Paulo Whitaker/Reuters

Caminhões carregados com soja em terminal no porto de Santos (SP).

Acessibilidade


O agronegócio brasileiro movimentou R$ 10,7 bilhões em fretes no acumulado do ano até maio, um avanço de 27,4% em relação ao mesmo período de 2021, impulsionado pelo transporte de fertilizantes e grãos, disse a Fretebras.

Em levantamento à Reuters, a plataforma de transporte de cargas informou que o agronegócio respondeu por quase um terço do total de R$ 29,7 bilhões em fretes movimentados entre janeiro e maio, seguido pela indústria com R$ 8,2 bilhões, e o setor de construção com R$ 4,5 bilhões.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“O agro, como motor de crescimento do Brasil, vem batendo recordes de safra a cada ano. Mesmo com as adversidades climáticas, o crescimento tem se mantido… (e) a alta do dólar motiva os produtores à exportação”, disse a Fretebras justificando o avanço do setor.

Os fertilizantes foram os produtos mais transportados pelo segmento agrícola até maio, respondendo por um quarto do volume total, e com avanço de 19% no comparativo anual.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O movimento ocorre no momento em que os produtores rurais aceleram negociações de compra do insumo que será utilizado na safra 2022/23 de grãos, cujo plantio começa a partir de setembro, diante da incerteza na oferta de adubos causada pela guerra entre Rússia e Ucrânia.

Na sequência, os produtos mais transportados foram soja, milho e trigo. O cereal de inverno representou somente 5% do volume transportado pelo agronegócio, mas teve uma disparada de 175% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em 2022, as exportações de trigo foram mais intensas nos primeiros meses do ano após uma safra cheia no ano passado, preços e demanda atrativos no mercado internacional, também influenciados pela guerra no leste europeu –Rússia e Ucrânia são dois importantes fornecedores globais do cereal.

Ainda segundo a Fretebras, 3,71 milhões de fretes foram publicados na plataforma de 1 de janeiro a 28 de maio de 2022, cobrindo 95% do território nacional. O volume é 31,4% superior no comparativo anual.

O setor agrícola representou 35,9% do volume total de fretes, com 1,33 milhão e aumento de 26,1% ante os cinco primeiros meses do ano passado, mostraram os dados.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: