Rússia ressemeou maioria dos cultivos atingidos por geada, diz ministra

Apresentado por
21 de junho de 2024

As fortes geadas não devem ter um impacto significativo nos volumes de colheita de grãos, pois a Rússia conseguiu semear novamente a maior parte das terras agrícolas afetadas, disse a ministra da Agricultura da Rússia, Oksana Lut, nesta sexta-feira (21), informou a agência de notícias Interfax.

  • Siga a Forbes no WhatsApp e receba as principais notícias sobre negócios, carreira, tecnologia e estilo de vida

Lut foi citada como tendo dito que seu ministério havia mantido uma previsão de 132 milhões de toneladas métricas para a colheita de grãos, das quais 86 milhões de toneladas métricas eram de trigo, em 2024, mas que isso poderia ser ajustado posteriormente.

Ilya Naymushin/Reuters

Geadas afetaram um milhão de hectares, ou 1,2% da área total

“Nas regiões do sul e na Rússia central, tivemos um clima muito seco no último mês e meio. Ou seja, primeiro tivemos geadas e, depois, o tempo ficou muito seco. E essa situação, é claro, pode ajustar significativamente, em princípio, nossas expectativas”, disse ela.

A empresa estatal de previsão do tempo da Rússia, Hydrometcentre, prevê condições desfavoráveis para as colheitas em razão do clima quente no sul da parte europeia do país até o final de junho.

O Ministério da Agricultura da Rússia estima que as perdas de safra causadas pelas geadas de maio sejam de cerca de um milhão de hectares, ou 1,2% da área total semeada para a safra de 2024, com outros 700 mil hectares sofrendo vários graus de danos.

No início de junho, Moscou declarou emergência em dez regiões para facilitar os pedidos de seguro dos agricultores. A Rússia já quase concluiu a campanha de semeadura e começou a colher a nova safra nas regiões do sul do país.

Nesta semana, após uma série de cortes nas previsões desde abril, a consultoria agrícola russa IKAR elevou suas previsões para a safra de trigo em 2024 em 0,5 milhão de toneladas, para 82 milhões de toneladas.