"Lightyear" decepciona e mostra que Disney não entende o personagem

A genialidade de "Toy Story" é que Buzz lentamente percebe que não é um astronauta destinado a salvar o universo, mas um brinquedo

Dani Di Placido
Compartilhe esta publicação:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Lightyear” é um filme dentro de um filme, supostamente o filme que despertou o interesse de Andy no brinquedo Buzz Lightyear

Acessibilidade


“Lightyear” ficou aquém das expectativas, não conseguindo conquistar o primeiro lugar nas bilheterias, apesar de apresentar Buzz Lightyear, um dos personagens animados mais memoráveis ​​já trazidos para a telona, em sua primeira aventura solo spin-off – mais ou menos.

“Toy Story” continua sendo um dos filmes mais fortes da Pixar e também funciona como um comercial de brinquedo diabolicamente inteligente, enquadrando Buzz Lightyear como um item obrigatório – há uma razão para o Buzz ainda ser um dois brinquedos da Disney mais vendidos de todos os tempos. Então, por que Lightyear não alcançou as estrelas?

Leia mais: “Lightyear” decepciona na bilheteria dos EUA com R$ 108 milhões

As críticas foram em sua maioria positivas, mas não particularmente entusiasmadas. Lightyear está sendo anunciado como um filme de aventura espacial sólido e uma meditação surpreendentemente profunda sobre a passagem do tempo. Mas a conexão do filme com seu personagem principal e Toy Story é vaga, na melhor das hipóteses, e, na pior, confusa.

Lightyear é um filme dentro de um filme, supostamente o filme que despertou o interesse de Andy no brinquedo Buzz Lightyear, mas o filme não satiriza os blockbusters dos anos 90, nem mesmo se conecta ao amado spin-off animado, “Buzz Lightyear of Star Command”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O filme parece um conceito autônomo de ficção científica, transformado em um IP reconhecível – um cínico pode suspeitar que a Disney simplesmente queria estender a vida útil de um de seus brinquedos mais populares, tendo espremido as últimas gotas da franquia “Toy Story”.

Eu diria que a Disney nunca entendeu o apelo do personagem em primeiro lugar – Buzz Lightyear é um herói arquetípico, uma mistura de tropos genéricos de ficção científica, representando a mudança cultural de westerns empoeirados para óperas espaciais polpudas. Mais importante, ele era apenas um brinquedo.

A genialidade de “Toy Story” é que Buzz lentamente percebe que não é um astronauta destinado a salvar o universo – ele é um pedaço de plástico sensível. É uma crise existencial de quebrar o cérebro, que o humilha e o fortalece. Buzz é um personagem tão fascinante porque ele é forçado a se ver como ele realmente é, transcendendo seus delírios de grandeza para se tornar um tipo de herói menor e grandioso.

Leia mais: Com R$ 2,62 bi de bilheteria, novo “Top Gun” é o maior filme de Tom Cruise

Em “Toy Story 2”, Buzz experimenta outra epifania, ao se ver replicado centenas de vezes nas prateleiras de uma loja e novamente é lembrado de sua insignificância. Buzz descobre que ele não é especial – mas ele é único – ele encontra um grande significado no mundo niilista de “Toy Story”, onde os bons tempos são curtos e o aterro é eterno.

Mas não houve muito crescimento para ele nos dois filmes seguintes, onde Woody teve uma parcela maior dos holofotes e Buzz foi reduzido a uma piada. Não havia para onde ir para seu personagem. Assim, Buzz renasceu em “Lightyear”, redesenhado para parecer um policial, decolando em uma aventura espacial “real”, perdendo completamente o apelo de seu personagem.

A Pixar construiu sua reputação estelar contando histórias ousadas e originais que seus criativos queriam contar – eles ainda fazem, como “Soul” e “Red: Crescer é uma Fera” provam. Mas a Disney tem o hábito de esgotar suas franquias mais valiosas, drenando os personagens favoritos dos fãs em cascas murchas.

Como a bilheteria de “Lightyear” mostra, alguns personagens têm apenas uma história para contar. E tudo bem.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: