Testes de vacina Sputnik-AstraZeneca começarão no Azerbaijão e no Oriente Médio

Objetivo é descobrir se a combinação pode aumentar a eficácia do imunizante britânico.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Agustin Marcarian/Reuters
Agustin Marcarian/Reuters

Tanto a vacina AstraZeneca e da Universidade de Oxford como o imunizante da Sputnik V exigem duas doses

Acessibilidade


Testes de uma vacina contra Covid-19 que combina a vacina britânica da AstraZeneca e da Universidade de Oxford com a vacina russa Sputnik V em humanos começarão na semana que vem no Azerbaijão e em algumas nações do Oriente Médio, disse uma autoridade da Rússia hoje (4).

Em dezembro, a AstraZeneca disse que iniciaria testes clínicos combinando as duas vacinas para descobrir se isto pode aumentar a eficácia da vacina britânica.

LEIA MAIS: Vacina russa Sputnik V é 91,6% eficaz em teste de estágio avançado

As duas vacinas exigem duas doses, uma primeira e uma de reforço, e usam adenovírus inofensivos como veículos, ou vetores, para transportarem instruções genéticas ao corpo e induzir as células a produzirem anticorpos –mas a Sputnik usa vetores virais diferentes em suas duas doses.

Um regime de duas doses da Sputnik V teve 91,6% de eficácia contra a Covid-19 sintomática, de acordo com resultados de seu teste clínico de estágio avançado analisados pela comunidade científica e publicados na publicação médica internacional “The Lancet”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Rússia está pronta para oferecer uma colaboração com a Sputnik V a qualquer produtor que tenha uma vacina com menos de 90% de eficácia, disse Kirill Dmitriev, chefe do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RDIF), à Reuters hoje. Dados compilados de um teste clínico de estágio avançado mostraram que a vacina da AstraZeneca tem cerca de 70% de eficácia.

O Reino Unido também iniciou um teste hoje para avaliar as reações imunológicas geradas se uma dose da vacina da Pfizer e da BioNTech for combinada à da AstraZeneca em um cronograma de duas vacinas.

“A Sputnik foi a primeira do mundo a sugerir que as duas doses deveriam ser diferentes para dar uma reação imunológica mais forte e duradoura, mais resistente a mutações”, disse Dmitriev.

VEJA TAMBÉM: Oxford diz que vacina é 76% eficaz por 3 meses após uma dose

“Então o que outros estão começando a fazer com este tipo de teste é seguir nossos passos”, disse, acrescentando que o RDIF também anunciará um teste conjunto com uma grande empresa chinesa em breve.

Segundo ele, centenas de pessoas de vários países participarão do teste com a AstraZeneca, que já foi aprovado por diversas agências reguladoras. O recrutamento de pacientes começou na semana passada, informou a conta oficial da Sputnik V no Twitter. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: