Reino Unido retira exigência de teste de Covid para viajantes vacinados

Medida entra em vigor e 11 de fevereiro. Por enquanto, a vacinação completa não incluirá o requisito de ter recebido uma dose de reforço.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Lucas Landau/Reuters
Lucas Landau/Reuters

Atualmente, as pessoas vacinadas que chegam ao Reino Unido são obrigadas a fazer um teste dentro de 2 dias após a chegada

Acessibilidade


Viajantes totalmente vacinados que chegam ao Reino Unido não precisarão mais fazer o teste de Covid-19, disse o secretário dos Transportes, Grant Shapps, ontem, conforme o governo estabelece planos para ir além das restrições e conviver com o vírus.

Atualmente, as pessoas vacinadas que chegam ao Reino Unido são obrigadas a fazer um teste dentro de 2 dias após a chegada. Em algumas situações, o governo também exigia que todos os passageiros fizessem testes antes de partir para o Reino Unido.

“Prometemos que não manteríamos essas medidas em vigor um dia a mais do que o necessário e é óbvio para mim agora que os testes de fronteira para viajantes vacinados perderam sua utilidade”, disse Shapps ao Parlamento.

A partir de 11 de fevereiro, os passageiros que estiverem chegando ao Reino Unido totalmente vacinados só passarão por verificação de seu status em um formulário de passageiros, disse ele. Por enquanto, a vacinação completa não incluirá o requisito de ter recebido uma dose de reforço. Menores de 18 anos são tratados como passageiros totalmente vacinados.

LEIA MAIS: Entenda por que Ômicron pode indicar que a pandemia de Covid-19 está no fim

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Aqueles que não se qualificarem como totalmente vacinados não precisarão mais se isolar ou fazer um teste no oitavo dia. Eles ainda terão que fornecer prova de um teste de Covid-19 negativo antes de viajar e fazer um teste de PCR depois de chegar ao Reino Unido, segundo o secretário.

“Este é um sistema proporcional que nos aproxima da normalidade, mantendo as proteções vitais à saúde pública”, disse Shapps.

Compartilhe esta publicação: