Fiocruz libera primeiro lote de vacina nacional contra a Covid-19

Liberação aconteceu no dia 14 de fevereiro, segundo a fundação; mais de 550 mil doses já foram disponibilizadas ao Ministério da Saúde.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Processo de envase da vacina contra a Covid-19 produzida pela Fiocruz

Acessibilidade


A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) divulgou hoje (22) que disponibilizou, por meio do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), para o Ministério da Saúde as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 (recombinante) produzidas com o Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) nacional.

O primeiro lote de vacinas nacionais foi liberado pelo controle de qualidade interno de Bio-Manguinhos/Fiocruz no dia 14 de fevereiro, segundo a Fiocruz.

LEIA TAMBÉM: Anvisa aprova fabricação de insumo de vacina da AstraZeneca pela Fiocruz

As mais de 550 mil doses disponibilizadas já compõem as entregas da Fiocruz contratadas pelo Ministério da Saúde para 2022. Ao todo, o ministério contratou 105 milhões de doses da vacina da instituição para este ano, sendo 45 milhões de doses da vacina nacional, de acordo com a fundação.

Os imunizantes serão entregues conforme cronograma pactuado entre a Fiocruz e o ministério e de acordo com a demanda da pasta. A fundação já produziu um quantitativo de IFA nacional equivalente a cerca de 25 milhões de doses de vacina, das quais envasou 2,6 milhões de doses, incluindo as 550 mil já disponíveis. As demais (cerca de 2 milhões) estão em diferentes etapas para liberação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A liberação das primeiras vacinas Covid-19 100% nacionais, agora disponíveis para o Ministério da Saúde, é um marco da autossuficiência brasileira e do fortalecimento do Complexo Econômico-Industrial da Saúde [Ceis]. Termos realizado uma transferência tecnológica desse porte em tão pouco tempo para atender a uma emergência sanitária só reafirma o papel estratégico de instituições públicas como a Fiocruz para o desenvolvimento do país e garantia de acesso com equidade a um bem público”, disse a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, em comunicado à imprensa.

Compartilhe esta publicação: