Nova York vai retirar obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados

Vários estados norte-americanos já sinalizaram uma flexibilização de restrições contra a Covid-19.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Jievani Weerasinghe/Unsplash
Jievani Weerasinghe/Unsplash

Nova York havia reestabelecido uso obrigatório de máscaras no final de dezembro, com surto da Ômicron

Acessibilidade


A governadora de Nova York, Kathy Hochul, anunciará hoje (9) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em seu estado para a maioria dos locais públicos fechados, informou o jornal The New York Times, juntando-se a vários estados a flexibilizar as regras de cobertura facial alegando melhora na situação do mais recente surto de Covid-19.

A governadora democrata pretende deixar expirar o prazo da obrigatoriedade da máscara, que foi contestada na Justiça, em vez de tentar renová-la, disse o jornal, citando três indivíduos informados sobre a medida.

VEJA TAMBÉM: Itália elimina exigência de máscaras em ambientes externos e quer aumentar limites de público em estádios

Ainda não está claro se o governo de Hochul renovará ou eliminará uma regra separada de máscara compulsória nas escolas públicas de Nova York, que vai expirar em duas semanas.

Representantes da governadora não responderam imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Hochul chamou a obrigatoriedade geral da máscara de temporária quando a impôs em 31 de dezembro, pois a variante Ômicron do coronavírus, altamente contagiosa, ameaçava sobrecarregar os sistemas de saúde.

Autoridades de vários outros Estados governados por democratas – Nova Jersey, Califórnia, Connecticut, Delaware e Oregon – anunciaram anteontem (7) que estavam suspendendo a obrigatoriedade de máscaras para escolas e outros ambientes públicos nas próximas semanas.

VEJA TAMBÉM: “Com mais ferramentas de combate, pandemia perderá força”, diz CEO da Pfizer Brasil

Em todos esses casos, as autoridades citaram recuo na onda de infecções, hospitalizações e mortes por Covid-19, alimentadas pela Ômicron.

Mas a diretora do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA), Rochelle Walensky, disse à Reuters ontem (8) que, com os casos ainda altos em todo o país, “agora não é o momento” de abandonar as máscaras em escolas e outros locais públicos.

Compartilhe esta publicação: