Guia traz roteiro para 24 horas em Amsterdã

Getty Images
Programe-se para aproveitar um dia livre na capital da Holanda

A capital holandesa sabe muito bem como conservar seu lado histórico e pitoresco: a infinidade de canais (mais do que Veneza), pontes e casas antigas compõem um cenário de relaxamento e contemplação. Mas as aparências enganam: Amsterdã é um centro efervescente de movimentos liberais, tem uma cena musical agitada, é a capital das artes e, até hoje, presencia o renascimento de partes da cidade – caso do bairro Noord (localizado ao norte do Rio Ij) e De Baarsjes, no extremo oeste da cidade.

LEIA MAIS: Museu Anne Frank é reformado e reaberto em Amsterdã

Para aproveitar ao máximo suas 24 horas no centro dos Países Baixos, a recomendação é apropriar-se do estilo de vida holandês. Ande de bicicleta (com muita atenção), tome cafés demorados, passe horas dentro de um museu e sinta como o equilíbrio entre vida profissional e pessoal aqui funciona.

Um fato invejável: a Holanda tem umas das menores jornadas de trabalho da Europa – trabalhar apenas meio período é a realidade de muitos por aqui.

Veja, na galeria de fotos a seguir, uma seleção de destinos imperdíveis que podem ser visitados em um dia livre:

  • 8h
    Panquecas holandesas

    As panquecas da Holanda são tão famosas quanto as americanas. São duas as receitas tradicionais: os pequenos discos batizados de poffertjes e a pannekoek, similar a um crepe francês. Para começar o dia entrando no clima do país, há uma infinidade de lugares que servem as variações. O Pannenkoekenhuis Upstairs, instalado em uma residência de 1539 do Red Light District, é bem tradicional, e a The Pancake Bakery é superfamosa – e lotada.

    @upstairspancakes; @thepancakebakery

  • 10h
    O quarteirão dos museus

    Os três maiores e mais famosos museus da capital são vizinhos. O bicentenário Rijksmuseum tem acervo de autoria de artistas holandeses (o famoso quadro “A Ronda Noturna”, de Rembrandt, está lá). Já o Stedelijk Museum é focado em arte moderna e tem exemplares dos maiores nomes internacionais do impressionismo, cubismo, fauvismo e expressionismo. O Van Gogh Museum tem o maior acervo do artista e já foi considerado um dos 25 museus mais famosos do mundo.

    @rijksmuseum; @stedelijkmuseum; @vangoghmuseum

  • 12h
    Pedale pelos canais

    Nunca fique desatento ao andar pela cidade: as vias são divididas entre as bicicletas, os “trams” (bondes) e pedestres. Dito isto, não há forma melhor do que se integrar à cultura local dando uma volta de bike pelos canais. É possível alugar as convencionais e vermelhinhas MacBike, com diversos pontos espalhados pela cidade. Para realmente se misturar aos locais, algumas lojas menores também oferecem o serviço de aluguel, caso da AjaxBike, no descolado bairro De Pijp.

    @macbike_official

  • 14h
    Da fazenda para a mesa

    A gastronomia de Amsterdã também é alinhada com as tendências globais. Para um almoço na linha farm to table – da fazenda à mesa –, uma ótima sugestão é o De Kas, conhecido como o pioneiro no conceito e que funciona em uma enfermaria desativada de 1926. O Rijks, dentro do Rijksmuseum, também foca em ingredientes criados em solo holandês – na hora do almoço é possível optar por uma experiência de três ou quatro tempos.

    @restaurantdekas; @rijksrestaurant

  • 17h
    Tarde de compras

    A P.C. Hooftstraat, perto do quarteirão dos museus, é o destino certo para compras. A rua conta com a melhor seleção de grifes tradicionais como Hermès, Gucci e Hugo Boss. Duas outras lojas interessantes são a livraria Taschen e a concessionária Tesla. Se passar por lá, não deixe de reparar como, diferentemente das megaboutiques de luxo espalhadas pelo mundo, todas as grifes instaladas na rua têm lojas menores e mais low profile.

    @pchooftstraat

  • 18h
    Do outro lado do rio

    É programa imperdível uma visita ao bairro Noord para ver os novos e modernos prédios erguidos por ali. É bem simples chegar lá: basta pegar a balsa (gratuita) e desembarcar na outra margem do Rio Ij. Comece a programação pela torre A’Dam, que tem um observatório 360°. Na sequência, siga para o Eye Filmmuseum, que, além de exposições, também abriga um cinema e um lindo restaurante e café.

    @adamlookout;@eye_film

  • 20h
    Boas mesas internacionais

    A culinária da cidade é bem internacional, com opções para todos os paladares. Dentro do lindo hotel Conservatorium, o restaurante Taiko é focado em culinária asiática contemporânea, com pratos ideais para serem divididos. O Daalder, do famoso chef Dennis Huwaë, é um dos “queridinhos” do momento. Durante o jantar, o menu degustação tem cinco ou sete pratos – é altamente recomendável reservar com antecedência.

    @conservatoriumhotel

  • 22h
    Jazz & Blues

    A preferência pelos gêneros musicais fica clara quando nota-se o número de casas voltadas ao jazz e blues que a cidade abriga. O tradicional Bimhuis recebe músicos locais e internacionais para shows (o site da casa de shows conta com a programação completa). Para uma experiência mais intimista, dirija-se a um “jazz café”, como o popular Café Alto, aberto todos os dias até altas horas.

    @bimhuis; @jazzcafealto_amsterdam

8h
Panquecas holandesas

As panquecas da Holanda são tão famosas quanto as americanas. São duas as receitas tradicionais: os pequenos discos batizados de poffertjes e a pannekoek, similar a um crepe francês. Para começar o dia entrando no clima do país, há uma infinidade de lugares que servem as variações. O Pannenkoekenhuis Upstairs, instalado em uma residência de 1539 do Red Light District, é bem tradicional, e a The Pancake Bakery é superfamosa – e lotada.

@upstairspancakes; @thepancakebakery

Reportagem publicada na edição 64, lançada em janeiro de 2019

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).