Segunda Turma do STF manda soltar Aldemir Bendine

Sergio Moraes/Reuters
Moro deu 11 anos de prisão a executivo por suposta propina da Odebrecht

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por 3 votos a 2 determinar a soltura do ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, informou a corte nesta terça-feira. Bendine está preso desde julho de 2017 no âmbito da operação Lava Jato.

LEIA MAIS: Na Petrobras, a difícil luta para vencer a corrupção

Em março do ano passado, o então juiz federal Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do presidente Jair Bolsonaro, condenou Bendine a 11 anos de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por supostamente ter recebido R$ 3 milhões em propina da Odebrecht para beneficiar a empreiteira em 2015.

Votaram a favor da liberdade de Bendine os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello. Ficaram vencidos os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia.

A maioria decidiu substituir a prisão de Bendine por medidas cautelares como o comparecimento periódico dele à Justiça e as proibições de entrar em contato com outros acusados e de deixar o país, sendo obrigado a entregar o passaporte à Justiça em 48 horas.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).