Arma usada por Van Gogh é leiloada por US$ 145 mil

Reuters
Revólver Lefaucheux foi vendido por mais do que o dobro da maior estimativa de especialistas da casa de leilões Drouot

A arma que acredita-se ter sido usada pelo artista holandês Vincent Van Gogh para se matar com um tiro no peito na França em 1890, depois de alguns anos de angústia mental, foi comprada por US$ 145,7 mil em um leilão em Paris hoje (19).

LEIA MAIS: Arma que matou Vincent Van Gogh vai a leilão

Um comprador anônimo deu o lance final pelo revólver Lefaucheux, que foi vendido por mais do que o dobro da maior estimativa de especialistas da casa de leilões Drouot. A moldura da arma está muito enferrujada, e a incrustação da empunhadura encurvada desapareceu.

“É uma peça muito emblemática”, disse o leiloeiro Gregoire Veyres. “O fato é que é uma arma, é um objeto de morte. E se Van Gogh é Van Gogh, é por causa de seu suicídio, e esta arma é parte disso.”

O artista sofreu ataques de psicose e depressão profunda durante toda a vida, e seu tormento muitas vezes se infiltrou em sua arte, como nos autorretratos pintados com intensidade ou em outras obras notáveis, como “A Noite Estrelada” e seus girassóis.

Ele também ficou famoso por ter decepado parte da orelha esquerda com uma navalha durante uma discussão com o colega Paul Gauguin.

Van Gogh morreu em Auvers-sur-Oise, perto de Paris, em julho de 1890, dois dias depois de atirar no próprio peito em um campo de trigo onde havia pintado. Ele tinha somente 37 anos.

VEJA TAMBÉM: Galeria de Paris abre mostra imersiva de Van Gogh

Incapaz de se matar de imediato, ele voltou aos tropeços à estalagem onde se hospedava e foi tratado pelo proprietário, Arthur Ravoux, e sua filha, Adeline, que tinha 13 anos à época e relatou os acontecimentos mais de 60 anos mais tarde.

“Eu tentei me matar”, Van Gogh teria dito a Ravoux. O artista passou mais de dois meses na estalagem, produzindo cerca de 80 pinturas em seu último rompante de criatividade.


Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).