Coreia do Sul protesta contra decisão do Japão de revogar status especial de comércio

Getty Images/Pool/Pool
Moon Jae-in, presidente da Coréia do Sul, que protestou contra à decisão do Japão de remover o país de sua lista de parceiros comerciais favorecidos

Resumo:

 

  • Como resposta à decisão do Japão de revogar o status especial da Coréia do Sul em suas relações comerciais, os sul-coreanos realizaram um protesto contra o governo japonês hoje (2) em Seul;
  • A medida tomada pelo Japão pode ter sido impulsionada pelas decisões dos tribunais sul-coreanos em 2018, que pediram às empresas japonesas o pagamento de uma indenização aos cidadãos do país forçados a trabalhar para elas durante a Segunda Guerra Mundial;
  • A relação conflituosa entre os países, que tem piorado nas últimas décadas, pode afetar outras áreas de colaboração como segurança e defesa.

Os sul-coreanos realizaram um protesto contra o governo japonês hoje (2), em Seul, em oposição à decisão do Japão de remover a Coreia do Sul de sua lista de parceiros comerciais favorecidos.

VEJA MAIS: Busto de Tutankamon arrecada milhões em leilão sob protestos

As relações entre o Japão e a Coreia do Sul estão piores nas últimas décadas e podem impactar outras áreas de colaboração entre os dois países, como segurança e defesa.

Seul diz acreditar que a medida tomada pelo Japão é uma resposta às decisões de vários tribunais sul-coreanos em 2018, incluindo a Suprema Corte, que pedem que as empresas japonesas paguem uma indenização aos cidadãos do país que foram forçados a trabalhar para elas durante a Segunda Guerra Mundial.

Em uma aparente resposta à decisão, em 1º de julho, Tóquio impôs restrições aos materiais químicos básicos usados ​​pelas empresas sul-coreanas para fabricar telas e chips de memória.

A medida não foi bem recebida pela indústria e por Seul, que anunciou sua intenção de levar a questão à Organização Mundial do Comércio (OMC) se Tóquio não respondesse aos seus apelos para negociar uma resolução.

O Japão decidiu eliminar a Coreia do Sul da lista de parceiros comerciais preferenciais, sob alegações de incapacidade por parte de Seul de aplicar medidas de segurança adequadas no setor de tecnologia.

A decisão do governo japonês, que entrará em vigor em 28 de agosto, significará que a Coreia do Sul não terá mais acesso a procedimentos simplificados para a compra de tecnologia e materiais japoneses que possam ser usados ​​para fins militares.

A Coreia do Sul estava na lista dos parceiros comerciais favorecidos assim como outros 26 países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Argentina, Alemanha e Austrália.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).