Fiat Chrysler e Peugeot podem anunciar fusão de US$ 50 bi amanhã

Getty Images
Juntas, as duas montadoras produzem, atualmente, 8,7 milhões de veículos

A Fiat Chrysler e a controladora da montadora francesa Peugeot, a PSA, confirmaram hoje (30) negociações sobre uma potencial aliança que pode criar um grupo automotivo de US$ 50 bilhões. Uma fonte afirmou à Reuters que um acordo pode ser anunciado já amanhã (31). Representantes da Fiat Chrysler não comentaram o assunto.

LEIA TAMBÉM: Silenciosamente, Fiat Chrysler prepara carro conectado com marketplace no Brasil

Os dois grupos afirmaram em comunicados separados que estão em discussões direcionadas a criar uma das maiores montadoras de veículos do mundo, melhor posicionada para lidar com custos de desenvolvimento de tecnologias como direção autônoma e eletrificação e regulamentos mais estritos sobre emissões de poluentes.

Depois de desistir de uma fusão com a Renault em junho, o presidente do conselho de administração da Fiat Chrysler, John Elkann, confirmou a tentativa do grupo ítalo-americano de buscar uma aliança alternativa.

As ações da Fiat Chrysler listadas em Milão dispararam mais de 10% nesta quarta-feira, após subirem mais de 7% ontem (29) em Nova York. As ações da Peugeot subiram mais de 6% e atingiram ponto mais alto em mais de 11 anos.

LEIA MAIS: Fiat Chrysler e Renault avaliam fusão de US$ 35 bilhões

O analista Richard Hilgert, da Morningstar, afirmou em relatório que os volumes de vendas da Fiat Chrysler e da Peugeot, incluindo parcerias na China, somam 8,7 milhões de veículos. Esse número deixa o grupo combinado na quarta posição entre as maiores montadoras do mundo, atrás de Volkswagen, Toyota e da aliança Renault/Nissan, cada um com vendas de mais de 10 milhões de veículos.

“Vemos a combinação destas duas companhias como razoável dada a competição global, alto nível de investimento e avanços como eletrificação e tecnologias de direção autônoma”, disse Hilgert.

O governo francês está acompanhando de perto as negociações. Paris tem uma participação de 12% na PSA por meio do banco BPI.

O Ministro da Indústria da Itália, Stefano Patuanelli, disse nesta quarta-feira que Roma, que não tem participação na Fiat Chrysler, está acompanhando as discussões entre os dois grupos, mas evitou comentar o que chamou de “operação de mercado”.

A Fiat Chrysler, controlada pela Exor, holding da família italiana Agnelli, discutiu mais cedo neste ano uma combinação com a Peugeot, antes de fazer uma oferta de US$ 35 bilhões para fusão com a Renault.

Na época, a Fiat Chrysler afirmou que um acordo com a Renault seria mais vantajoso que uma combinação com a Peugeot, mas a família Agnelli rompeu as negociações depois que o governo francês interveio e pressionou a Renault a primeiro resolver suas brigas com a parceira japonesa Nissan.

Além dos 12% da PSA nas mãos do governo francês, a família Peugeot e o governo da China possuem participações similares na holding.

O conselho de administração da PSA deve se reunir nesta quarta-feira para discutir o potencial acordo, disseram duas fontes próximas do assunto.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).