Grupo Votorantim tem prejuízo com baixa contábil no Peru

O prejuízo líquido do grupo Votorantim foi de R$ 458 milhões no terceiro trimestre

O conglomerado industrial Votorantim teve prejuízo líquido de R$ 458 milhões no terceiro trimestre, principalmente devido a perdas com uma mina peruana da controlada Nexa Resources.

A Votorantim disse hoje (14) em um documento que a produção da mina de Cerro Pasco será menor do que a esperada anteriormente, levando a uma perda sem efeito caixa de R$ 564 milhões no terceiro trimestre. Um ano antes, a Votorantim tinha registrado lucro de R$ 112 milhões.

As receitas do grupo também caíram 4% em relação ao mesmo período de 2018, para R$ 8,3 bilhões, afetadas pelos menores preços de metais e volumes de energia e neutralizando maiores vendas de cimento e os ganhos no Banco Votorantim.

A dívida líquida da Votorantim encerrou setembro em R$ 11,2 bilhões, um pouco acima de junho. Isso é equivalente a 1,79 vez o lucro ajustado antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).