Listagens da Alibaba e da Aramco não irão gerar lucro extraordinário para bancos

Getty Images
Listagem da Alibaba em Hong Kong será de US$ 13 bilhões e da Aramco será de US$ 26 bilhões

Uma grande onda de vendas de ações globais no final do ano liderada pela listagem de US$ 13 bilhões da Alibaba em Hong Kong e pela oferta pública inicial de US$ 26 bilhões da Aramco não está conseguindo oferecer um ganho equivalente para os banqueiros de ações.

Os documentos divulgados hoje (21) revelaram que 17 bancos vão dividir o pagamento de até US$ 32,3 milhões pela listagem da Alibaba em Hong Kong, que captará até US$ 12,9 bilhões para a gigante chinesa de comércio eletrônico.

LEIA MAIS: Alibaba movimenta até US$12,9 bi em oferta de ações histórica em Hong Kong

No início desta semana, fontes disseram à Reuters que os bancos que trabalham no IPO da Saudi Aramco dividirão taxas no valor de 0,35% do valor arrecadado, ou seja, no topo de sua faixa de preços, captando US$ 25,6 bilhões, as taxas chegariam a US$ 90 milhões.

Os números ficam ainda piores em comparação com os US$ 300 milhões que bancos ganharam com o IPO recorde da Alibaba de US$ 25 bilhões em 2014. O pagamento recorde foi de US$ 550 milhões que os bancos ganharam com o IPO de US$ 19,6 bilhões da Visa em Nova York em 2008.

A atividade dos mercados de capitais de ações normalmente responde por cerca de um quarto das taxas globais de bancos de investimento, mas a captação de capital em 2019 está em seu nível mais baixo desde 2012, uma vez que uma série de transações canceladas e listagens decepcionantes pesam sobre o sentimento geral do mercado, mesmo com muitos índices atingindo recordes.

Em todo o mundo, as empresas venderam ações no valor de US$ 574,7 bilhões até agora este ano, segundo dados da Refinitiv, 19,7% abaixo dos níveis do ano passado. Esses números incluem a Alibaba, mas não a Aramco, que ainda não determinou o preço do negócio.

A empresa de compartilhamento de escritórios WeWork foi forçada a cancelar seu IPO em setembro e buscar um resgate depois que os investidores não receberam bem sua avaliação.

O fracasso do acordo foi visto como um golpe para outros candidatos a IPOs, já enfraquecidos pelo desempenho das empresas Lyft e Uber, que caíram em pelo menos um terço desde suas listagens este ano.

VEJA TAMBÉM: IPO da Saudi Aramco é avaliado entre US$ 1,6 tri e US$ 1,7 tri

A má recepção de muitos IPOs ocorre apesar das fortes altas nos mercados de ações. O S&P 500 subiu 24% este ano e está perto de uma alta histórica de 3122,03 atingida no início desta semana.

“Eu espero que os volumes se recuperem em 2020 em comparação com o que nós vimos até agora este ano”, disse um agente do mercado de Hong Kong. “Eu acho que você precisa se lembrar de que 2018 foi um ano muito bom, então eu acho que 2019 foi um retorno aos níveis mais normais”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).