Amazon volta ao clube do US$ 1 trilhão

ReutersConnect/Pascal Rossignol
A Amazon voltou a usar sua vantagem de tamanho e capacidade para alavancar suas ações na bolsa

A gigante do ecommerce voltou a entrar no grupo de empresas que valem US$ 1 trilhão depois que seus resultados trimestrais ficaram muito acima das expectativas, com a empresa se beneficiando de investimentos em entregas mais rápidas e um aumento no número de membros do serviço de assinatura Prime.

Quase metade das 51 corretoras que cobrem a Amazon elevaram o preço-alvo de 12 meses para as ações da empresa, que subiam cerca de 8,5%, nesta tarde.

LEIA MAIS: Vendas de final de ano da Amazon aumentam patrimônio de Jeff Bezos em US$ 12,8 bi

Em um relatório intitulado “Um lembrete não tão sutil de que Amazon ainda é rei”, analistas da Benchmark disseram que a gigante do varejo lembrou ao mundo sua “vantagem de tamanho e capacidade” e elevaram o preço-alvo das ações em US$ 150, para US$ 2.400.

As vendas líquidas aumentaram 21%, para US$ 87,4 bilhões, com as vendas da AWS – unidade responsável pelo armazenamento de dados e serviços de computação na nuvem – crescendo 34%. A receita de assinaturas aumentou 32%, à medida que mais consumidores se inscreveram nos serviço Prime.

O analista do JPMorgan, Doug Anmuth, elevou seu preço-alvo para as ações para US$ 2.525, de US$ 2.200, e disse que a Amazon continua sendo uma das principais opções da corretora nos EUA.

“No geral, em nossa opinião, a capacidade da Amazon de acelerar o crescimento da receita em uma escala tão grande é uma evidência de que seus investimentos (Prime One Day) estão valendo a pena”, disse Anmuth.

LEIA TAMBÉM: MacKenzie Bezos vende US$ 350 milhões em ações da Amazon

A Amazon tem entrado e saído no grupo de empresas que valem US$ 1 trilhão há algum tempo, acompanhada de outras gigantes de tecnologia como a Apple, Alphabet e Microsoft.

Investidores e analistas apontam a Visa e a Mastercard como as próximas empresas na fila para entrar no grupo de elite.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).