Lucro do Santander Brasil cresce 9,4% no 4º tri com aumento de empréstimos e tarifas

Reuters
A estratégia do banco de aumentar sua base de clientes e crédito pessoal garantiu ao Santander Brasil um retorno sobre o patrimônio de 21,3%

O Banco Santander Brasil reportou hoje (29) crescimento de 9,4% no lucro líquido recorrente do quarto trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano anterior, apoiado principalmente nos empréstimos e tarifas.

O lucro líquido recorrente, que exclui itens extraordinários, somou R$ 3,726 bilhões, praticamente em linha com os R$ 3,859 bilhões estimados por analistas, de acordo com dados Refinitiv.

VEJA TAMBÉM: Santander Brasil reestrutura banco de investimento com novas contratações

O banco afirmou que teve um ganho extraordinário de R$ 2,7 bilhões no último trimestre de 2019 com créditos tributários, embora também tenha elevado as provisões para perdas com empréstimos.

A estratégia do banco de aumentar sua base de clientes e crédito pessoal garantiu ao Santander Brasil um retorno sobre o patrimônio (ROE, na sigla em inglês) de 21,3%, alta de 0,2 ponto percentual em relação ao terceiro trimestre.

A carteira de crédito do banco cresceu 6,2% no trimestre, refletindo expansão nos empréstimos para pessoas e corporativos.

Apesar do rápido crescimento nos empréstimos, a taxa de inadimplência de 90 dias ficou praticamente estável, em 2,9%.

A margem financeira líquida, ou a diferença entre o que o banco paga pelos depósitos e recebe com os empréstimos, subiu 10,7% frente ao mesmo período do ano anterior, com elevação no volume de crédito. Ainda assim, o spread caiu 0,4 ponto percentual, para 9,3%.

E AINDA: Santander Brasil tem lucro recorrente acima do esperado no 3º tri

As receitas de prestação de serviços e tarifas somaram R$ 4,8 bilhões no último trimestre, crescimento de 1,4% na comparação ano a ano, com o banco atribuindo o desempenho ao contínuo aumento da base de clientes e maior transacionalidade.

PERSPECTIVA

O presidente-executivo, Sergio Rial, publicou em outubro pela primeira vez metas operacionais para a subsidiária brasileira do Banco Santander da Espanha. As metas contemplam um crescimento de mais de 10% ao ano na carteira de crédito até 2022 e manutenção do ROE ao redor de 21%.

O Santander Brasil também busca manter a taxa de crescimento da base de clientes em pelo menos 7% por ano até 2022.

Em material enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o banco afirmou que sua participação de mercado no crédito aumentou 0,75 ponto percentual em 2019, para 10%, o maior patamar nos últimos dez anos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).