Carrefour Brasil confirma negociação com Makro, mas por valores menores

ReutersNacho-Doce
ReutersNacho-Doce

A rede de varejo de origem francesa afirmou ue os valores citados pela imprensa sobre a eventual transação são “substancialmente maiores” que a realidade

O Carrefour Brasil confirmou hoje (10) que está negociando a compra de certos ativos da rede atacadista Makro, mas refutou informações publicadas na imprensa de que o valor da transação pode chegar a cerca de R$ 5 bilhões.

A rede de varejo de origem francesa afirmou que as negociações com os controladores do Makro envolvem “possível aquisição de determinados ativos imobiliários e acessórios do Macro” e que os valores citados pela imprensa sobre a eventual transação são “substancialmente maiores” que a realidade.

LEIA MAIS: Mercado Livre planeja investir R$ 4 bilhões no Brasil em 2020

Em 6 de fevereiro, o jornal “O Estado de S. Paulo” publicou que o Carrefour Brasil tinha negociação avançada para comprar o Makro, controlado pela holandesa SHV Holdings, e que o valor da transação seria de cerca de R$ 5 bilhões.

No comunicado desta segunda, o Carrefour Brasil afirma que as tratativas com os controladores do Makro se intensificaram nos últimos dias, “mas não há garantia” de que a operação poderá ser acertada.

“Tendo em vista a incerteza sobre o desfecho das tratativas, o fato de a possível operação ser substancialmente diferente da noticiada e a ausência de oscilação atípica na cotação, preço ou quantidade negociada das ações, a companhia entendeu que a divulgação de fato relevante poderia pôr em risco seus interesses legítimos”, afirmou o Carrefour Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).