Ibovespa recua com dados da economia

ReutersConnect/Paulo Whitaker
Os agentes do mercado reagiram a dados da atividade econômica do Brasil e mantiveram a cautela diante do surto do coronavírus

O Ibovespa teve a segunda queda seguida hoje (14), com agentes do mercado reagindo a dados da atividade econômica do Brasil e mantendo a cautela diante do surto do coronavírus.

O índice caiu 1,11%, a 114.380,71 pontos. Mas, na semana, o Ibovespa ainda teve alta acumulada de 0,54%. O volume financeiro da sessão foi de R$ 19,75 bilhões.

LEIA MAIS: Especialistas alertam que alta do bitcoin pode ser passageira

A atividade econômica do Brasil perdeu força no fim de 2019, segundo o IBC-Br, considerado sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), com aumento de 0,89% no ano, dado abaixo do consenso do mercado para o PIB, de 1,12% em 2019.

Para Pablo Spyer, diretor de operações da Mirae Asset, o dado mostra que a recuperação da economia do país está mais lenta do que o esperado.

“Pelo fato de estar próximo das máximas, o índice não está se sustentando, a retomada econômica decepcionou, os dados não surpreenderam positivamente e o mercado está revisando a projeção do PIB para baixo”, disse Spyer, acrescentando que diante do cenário, uma realização de lucros é natural. “Mas seguimos otimistas, os juros devem se manter baixos, atraindo mais investidores, as reformas estão andando e o risco país continua caindo”, afirmou.

Em Wall Street, as bolsas encerraram a semana com tendências mistas, antes do feriado de segunda-feira nos Estados Unidos.

No âmbito internacional, o surto do coronavírus continua se propagando, com o número de infectados chegando a 63.851 pessoas e o Egito confirmando o primeiro caso da doença no país.

LEIA TAMBÉM: Bilionário Oleg Deripaska é acusado pelo governo dos EUA de lavar dinheiro para Putin

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que o impacto no cenário doméstico ainda é difícil de ser calculado.

“Impactos econômicos ainda estão incertos, mas podem ser significativos caso a epidemia se mantenha por um tempo prolongado”, afirmou.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).