China presta homenagem a milhares de mortos no país na epidemia de Covid-19

DI YIN/GettyImages
Bandeira nacional foi exibida a meio mastro em todo o país

A China lamentou hoje (04) os milhares de “mártires” que morreram no surto de coronavírus, exibindo a bandeira nacional a meio mastro em todo o país e suspendendo todas as formas de entretenimento.

O dia do luto coincidiu com o início do festival anual de Qingming para reverência aos mortos, em que milhões de famílias chinesas prestam homenagem aos seus antepassados.

VEJA TAMBÉM: Fundações Jack Ma e Alibaba doam milhões de máscaras em meio às ações filantrópicas da China para o combate do coronavírus no mundo

Às 10h, no horário de Pequim, o país observou silêncio de três minutos para reverenciar aqueles que morreram, incluindo trabalhadores de saúde e médicos na linha de frente do combate ao vírus.

Em Zhongnanhai, a sede do poder político em Pequim, o presidente Xi Jinping e outros líderes chineses prestaram homenagem silenciosa em frente à bandeira nacional, com flores brancas presas no peito como sinal de luto, informou a mídia estatal.

Mais de 3.300 pessoas morreram na China continental em consequência da epidemia, que surgiu na província central de Hubei no final do ano passado, segundo dados publicados pela Comissão Nacional de Saúde.

Em Wuhan, capital de Hubei e epicentro do surto, todos os semáforos nas áreas urbanas ficaram vermelhos às 10h da manhã e o tráfego parou por três minutos.

Foram registradas 2.567 mortes em Wuhan, uma cidade de 11 milhões de pessoas localizada no meio do rio Yangtze. As vítimas fatais de Wuhan representam mais de 75% das mortes por coronavírus no país.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).