Barclays relata lucro operacional de £ 1,1 bilhão no 3T

Reprodução/Forbes

O Barclays divulgou hoje (23) resultados mais fortes do que o esperado no terceiro trimestre, graças à melhora na unidade de varejo do banco e ao anúncio de permanência do presidente-executivo Jes Staley.

O Barclays relatou lucro operacional de £ 1,1 bilhão (US$ 1,4 bilhão) no terceiro trimestre, quase o dobro dos £ 507 milhões que os analistas previam.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“Embora esses resultados não sejam perfeitos, eles são muito melhores do que temíamos que fossem”, disse Nicholas Hyett, analista de ações da Hargreaves Lansdown.

O banco registrou £ 608 milhões em provisões para potenciais perdas com empréstimos e outras despesas, uma queda de 63% em relação ao trimestre anterior e bem abaixo do montante de £ 1 bilhão que os analistas esperavam.

A divisão de varejo, cartões e pagamentos do banco teve um lucro de £ 165 milhões no trimestre, após prejuízo no segundo trimestre, conforme os gastos com cartão de crédito nos Estados Unidos aumentaram novamente.

A receita de sua divisão de mercados, que se beneficiou de negociações frenéticas em meio a mercados voláteis em todo o mundo, aumentou 29% em relação ao ano anterior, para £ 1,69 bilhão. A receita com negociação de ações saltou 40%, para £ 691 milhões, enquanto as receitas com renda fixa, moedas e commodities subiram 23%, para £ 1 bilhão.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Staley, que foi nomeado CEO em 2015, disse que lamenta ter tido qualquer relacionamento com Epstein. “Acho que ficaremos aqui por mais alguns anos”, disse Staley a repórteres em uma teleconferência hoje. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).