Credit Suisse melhora prognóstico do crescimento do PIB do Brasil para 2%

A revisão veio mesmo após a notícia de que o IBC-Br teve queda de 0,11% em maio sobre abril

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

O banco suíço também mencionou a PEC dos Benefícios como fator que deve apoiar a atividade no terceiro trimestre

Acessibilidade


O Credit Suisse elevou sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil neste ano, citando impacto de cortes de impostos e medidas de auxílio econômico do governo, embora tenha ressalvado que os riscos para suas projeções de 2023 estão inclinados para o lado negativo.

Agora, o banco espera que a economia brasileira cresça 2% neste ano, contra taxa de 1,4% prevista anteriormente. A revisão veio mesmo após a notícia de que o IBC-Br, índice do Banco Central considerado um sinalizador do PIB, teve queda de 0,11% em maio sobre abril.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Como responsáveis pela mudança de cenário o Credit Suisse citou os efeitos da reabertura da economia e medidas de estímulo do governo, incluindo a liberação de saques extraordinários do FGTS, antecipação do 13º de aposentados e pensionistas e cortes de impostos.

O banco suíço também mencionou a PEC dos Benefícios –que deve ser promulgada nesta semana– como fator que deve apoiar a atividade no terceiro trimestre.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Credit Suisse manteve expectativa de que o PIB crescerá 0,2% em 2023, mas destacou que os riscos estão “inclinados ​​para o lado negativo” devido à esperada diminuição dos efeitos da maioria das medidas fiscais e aos impactos defasados dos juros mais altos e das condições financeiras globais mais apertadas, disse o banco em relatório assinado por Solange Srour, Lucas Vilela e Rafael Castilho.

Compartilhe esta publicação:

Matérias Relacionadas