A inovação que conecta o Brasil

Divulgação

Um lugar projetado para antecipar o futuro e fazer com que, juntos, os setores público e privado possam colaborar no desenvolvimento de soluções capazes de tornar a sociedade brasileira cada vez mais conectada. É assim que se posiciona o Centro de Coinovação (COI) da Cisco no Rio de Janeiro, criado para fomentar um grande ecossistema que permite a clientes e parceiros brasileiros impulsionarem soluções de ponta, que resolvem desafios e abrem oportunidades digitais.

“Acompanhamos uma profunda transformação no mundo e queremos habilitar empresas a entregar o que será preciso para o avanço da sociedade”, sintetiza Eugenio Pimenta, líder do COI. “Cada vez mais, o mercado vai exigir agilidade e soluções personalizadas para otimização das operações e para criação de novas fontes de receita”, complementa.

Criado em 2013, o Centro de Coinovação em solo brasileiro foi o segundo do mundo a ser estabelecido pela líder mundial em TI e redes. Hoje, a companhia contabiliza 14 iniciativas semelhantes, em 12 países. “A decisão de colocar o COI no Brasil partiu da gestão local e, com o passar dos anos, ficou clara para a Cisco a importância de ter centros de inovação em diversas localidades”, explica Pimenta.

O Centro é fruto de investimentos de R$ 1 bilhão no Brasil anunciados pela Cisco em 2012, e que também contemplaram a expansão da fábrica local. “De lá para cá, os objetivos não mudaram. Nossa principal meta é criar o engajamento com os clientes e estimular a inovação junto a empresas brasileiras. Ninguém inova sozinho.”

O COI mantém o foco em algumas verticais e tecnologias, como educação, internet das coisas (IoT), sensoriamento remoto, segurança pública e gerenciamento de frotas. Desde sua inauguração, mais de 50 empresas, incluindo startups e parceiros tradicionais da Cisco, já desenvolveram soluções com o COI voltadas para os segmentos de educação, saúde, varejo, finanças, manufatura, segurança e cidades inteligentes, que já beneficiam milhões de brasileiros.

Foi no Centro de Coinovação no Rio de Janeiro, por exemplo, que nasceu um projeto para criar redes inteligentes de distribuição de energia, baseadas em tecnologia IP. A iniciativa está implementada em uma grande metrópole do Sudeste brasileiro. A solução permite monitoramento remoto da iluminação pública, o que trouxe mais eficiência à concessionária e segurança aos cidadãos, além de tornar o planejamento urbano mais efetivo e reduzir a pegada de carbono.

“No mundo atual, o número de dispositivos conectados aumenta diariamente, por isso IoT se faz presente na maioria dos projetos nos quais trabalhamos”, afirma o líder do COI, citando exemplos de projetos que contemplam o uso de redes wi-fi para rastreamento de ativos em hospitais e em empresas de óleo e gás.

Com a competição cada vez mais acirrada, inovar é uma necessidade para organizações de qualquer tamanho ou indústria. “Atualmente é difícil mapear que tipo de disrupção o setor onde sua empresa atua pode sofrer. No COI, ajudamos as empresas a acelerarem seus ciclos e a serem mais efetivas na hora de apresentar soluções para competir no mercado onde atuam”, ressalta Pimenta.

Há 25 anos conectando os brasileiros, a Cisco tem o compromisso de ajudar empresas do país a serem mais inovadoras, aproximando clientes e parceiros e fomentando um ecossistema capaz de melhorar a sociedade.

* BrandVoice® é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).