Braskem: carbono neutro até 2050

Divulgação

O ano de 2020 ficará marcado na história como aquele em que a humanidade recebeu um brutal choque de realidade. A espécie se deu conta da própria fragilidade na guerra travada contra o coronavírus. Um ponto positivo que pode ser pinçado da pandemia: cada vez mais cidadãos e mais empresas reconhecem a importância de seguir as melhores práticas ligadas à vida em sociedade e à preservação do meio ambiente. Não por acaso, a edição 83 da Forbes traz uma reportagem sobre ESG. Essas três letras resumem as boas práticas das empresas em um contexto cada vez mais exigente: ao lado de preço, qualidade e custo-benefício, hoje o consumidor leva em conta a reputação e a transparência das companhias nesses temas.

Ciente de sua relevância nesse cenário, a Braskem, uma das maiores empresas do setor petroquímico no mundo, se apresenta como corresponsável do desenvolvimento sustentável na indústria do plástico. E anunciou seu compromisso de neutralizar suas emissões de carbono até 2050. Faz parte desse círculo virtuoso o investimento no desenvolvimento de matéria-prima de fontes renováveis, como o polietileno I’m green™ bio-based, criado há dez anos a partir da cana-de-açúcar. A solução faz parte do portfólio de novos produtos da Braskem, que foi ampliado com produtos feitos de resina pós-consumo – plástico reciclado (I’m green™ recycled). Além disso, a Braskem tem como meta ampliar o portfólio I’m green™ para incluir, até 2025, 300 mil toneladas de resinas termoplásticas e produtos químicos fabricados com conteúdo reciclado; e, até 2030, 1 milhão de toneladas desses produtos. Todos esses compromissos e iniciativas da Braskem estão com a Agenda 2030 da ONU e seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), bem como com o Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.

Realizações e metas

Não é de hoje que a Braskem alia inovação e sustentabilidade em seu dia a dia. Desde seu nascimento, em 2002, busca encontrar soluções rumo a um futuro mais sustentável. Em seus sete primeiros anos, melhorou em 90% seus resultados de segurança (é uma das melhores do mundo nesse quesito), reduziu em mais de 60% o índice de geração de resíduos e em 40% a produção de efluentes.

Em 2009, lançou um conjunto de metas de longo prazo para 2020, com ênfase na solução das mudanças climáticas – mais de 70% dos objetivos já tinham sido alcançados em 2019, um ano depois de tornar público seu compromisso com a economia circular.

As ações positivas da empresa são inúmeras. Destaca-se por ter viabilizado o investimento do maior projeto de água de reúso industrial do Hemisfério Sul e beneficiado 500 mil pessoas ao redor das instalações. Além disso, a Braskem trabalhará para evitar que, até 2030, 1,5 milhão de toneladas de resíduos plásticos sejam enviadas para incineração, aterro ou descarte inadequado no meio ambiente. No mesmo período, vai reduzir em 15% as emissões de gases de efeito estufa. Outros pontos igualmente importantes, como direitos humanos, diversidade, equidade e inclusão, seguem na pauta da companhia, que deseja se manter como uma das melhores empresas químicas do mundo em saúde, segurança e meio ambiente, ser uma das empresas mais humanas para se trabalhar até 2025 e neutralizar suas emissões de carbono até 2050.

* BrandVoice é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).