Brasileiro é o que menos mente no currículo

Apenas 1 em cada 10 entrevistados afirma que mentiria em processos seletivos

Redação
Compartilhe esta publicação:
Brasileiro é o que menos mente na hora de preparar o currículo
Brasileiro é o que menos mente na hora de preparar o currículo

Segundo a pesquisa, os brasileiros e os franceses são os menos prováveis a mentir no currículo, no LinkedIn ou nas entrevistas

Acessibilidade


O mercado de trabalho no Brasil ainda sofre as consequências das crises econômica, política e social em muitos aspectos, principalmente, quando se trata de empregabilidade. A plataforma de treinamento Udemy conduziu o estudo “Lacuna de Habilidades” para identificar as preocupações dos profissionais brasileiros em relação a outros países.

LEIA MAIS: 10 coisas essenciais em uma entrevista de emprego

Os problemas econômicos expuseram nos últimos anos uma forte competitividade no mercado de trabalho e se destacar entre os muitos candidatos para uma única vaga se tornou fundamental. Segundo a pesquisa, os brasileiros e os franceses são os menos prováveis a mentir no currículo, no LinkedIn ou nas entrevistas; apenas 10% dos entrevistados afirmaram que recorreriam a mentiras. Espanhóis e mexicanos são os mais propensos a mentir para avançar na carreira, com 24% e 21% de entrevistados que mentiriam, respectivamente.

Esta competitividade tem um impacto direto na expectativa de crescimento no emprego. O relatório também mostra que 45% dos profissionais diminuíram sua esperança em relação a melhorar na carreira nos últimos anos. Trabalhadores no mundo todo dizem estar cientes de que existe uma falta de habilidades em relação ao que o mercado atual exige. O Brasil é o país onde essa crença ganha mais força, com 98% dos trabalhadores que dizem acreditar que esse déficit de conhecimentos realmente existe. Na Espanha, por exemplo, este índice é de 65%.

O estudo também inclui um ponto sobre o impacto do treinamento recebido na formação profissional. Os três países da América que receberam a pesquisa – Brasil (43%), EUA (40%) e México (35%) – são os que mais apostam em cursos online para manter suas habilidades atualizadas. No caso da França e da Alemanha, seus funcionários optam por bootcamps como a melhor maneira de obter ou atualizar habilidades.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Entre os brasileiros, 90% deles afirmam que a falta de recursos financeiros é algo que atrapalha na busca por qualificação, assim como poucos recursos tecnológicos, dificuldade de locomoção, conhecimento de outro idioma, falta de tempo e segurança pública.

Compartilhe esta publicação: