Como um líder pode se tornar um influenciador

Você deve estar ciente de quão importante é uma marca e de como vale a pena apostar em algo se você trabalha atualmente em um ambiente profissional. Talvez você já tenha até defendido uma das marcas da empresa na qual trabalha ou tenha admiração por algumas delas.

VEJA TAMBÉM: 5 lições de liderança de um agente de Hollywood

Você sabe que está emocionalmente conectado a um tipo específico de produto ou serviço e como investiu em alguma coisa – seja uma equipe de futebol ou o seu autor favorito. Eles também podem ser encarados como marcas. Mas você tem uma marca para chamar de sua? Talvez você tenha feito pouco para criar uma.

Se estiver lendo isso, você já é muito mais forte em capital de marca do que pensa. Aqueles ao seu redor têm opiniões fortes sobre quem você é como indivíduo, funcionário, líder – e o que eles pensam a seu respeito é a representação da sua capacidade profissional enquanto marca.

Este artigo não é sobre se tornar uma sensação do YouTube do dia para a noite ou um Instagrammer com legiões de seguidores e o patrocínio de uma companhia de bebida, mas se você reconhecer o valor de uma marca para a empresa, então por que não construir uma para si mesmo?

Não é nenhum segredo que as indústrias tradicionais estão sob ameaça de serem marginalizadas por novos e ágeis participantes digitais, mas um dos antídotos pode estar em capacitar o capital humano, fazendo com que seus líderes avancem um degrau.

Práticas tradicionais de desenvolvimento de liderança não vão simplesmente atender à essa necessidade e a usual reunião de gerenciamento onde você faz um exercício de confiança e um workshop de “assertividade compassiva” (sim, isso é uma coisa real) não vão reacender o coração dos super-heróis das empresas e fazer com que eles lutem por um ponto de vista.

E AINDA: O segredo de Dia Simms para liderar o bilionário império do Hip Hop


Em vez disso, criamos um método prático, batizado de “Build-a-Voice” (“Construa uma Voz”, em tradução livre) para deixá-los apaixonados novamente e permitir que acessem a comunidade on-line. Os líderes com os quais trabalhamos que colocaram o conceito em prática ainda estão no mercado hoje, como vozes fortes e respeitadas, mestres do pensamento e visionários.

Vale a pena?

Encontrar as próprias recompensas, aquelas que mais se adequam aos seus valores, é parte da construção de uma marca pessoal, mas, a menos que você tenha como objetivo deixar sua carreira em favor de uma vida pública ou autoral, essa visibilidade pode ser perigosa no começo. Aqueles que se tornam líderes intelectuais podem até ficar desempregados por um tempo. Por mais que isso soe estranho, mostrar coragem e ter um ponto de vista claro pode ameaçar uma gestão fraca em todos os lugares – e há muitos exemplos de influenciadores desempregados ou subutilizados por um longo tempo -, mas, felizmente, a experiência mostra que essa é uma situação temporária e um trampolim para melhores posições e maiores realizações.

Profissionais que constroem marcas pessoais fortes estão em um estágio de carreira e de vida no qual não podem arcar com a perda da renda, então haverá um grau de cautela ao se estabelecer como influenciadores, dependendo das circunstâncias. Mas não há razão para temer se tornar o equivalente a um artista faminto para sempre, uma vez que há inúmeras outras habilidades profissionais que sustentam este novo eu aumentado, vocal e opinativo. Uma novidade que se torna cada vez mais valiosa. Em outras palavras: se você está nesse barco para a glória de curto prazo, vai se desapontar; mas há um imenso ganho sustentável no investimento em crescimento e na marca pessoal para justificar o esforço.

Tornar-se um influenciador não deve ser um objetivo em si, em particular no que diz respeito à verdadeira influência, que é quase acidental e vem da defesa e da comunicação de grandes ideias nas quais o autor acredita com todo o seu coração – e que requer uma paixão autêntica que não pode ser falsificada por uma melhor posição profissional. Descobrir o que você verdadeiramente defende, onde está o seu coração e expressar isso ao mundo com vigor e entusiasmo deve ser o objetivo, porque somente quando você se torna uma voz, você pode ser um verdadeiro líder.

Veja, na galeria de imagens a seguir, 10 dicas práticas para futuros influenciadores:

  • 1. Comece bisbilhotando

    Encontre onde a conversa “vive” online e observe. Gaste o tempo que você precisar para entender onde há mais engajamento. Por exemplo: no caso de alguns setores, o bate-papo está no Twitter, outros estão em grupos do LinkedIn e alguns até mesmo estimulam comentários de artigos em revistas populares. Descubra onde há mais diálogo, formule opiniões sobre a dinâmica, identifique onde suas ideias se encaixam, ajude a criar ou crie controvérsias. Então, faça dessa comunidade sua casa.

  • 2. Leia

    É dispensável dizer que manter-se informado e a par de qualquer notícia em seu respectivo campo é um fator crucial para qualquer bom profissional, mas, uma vez que você está online, não é mais possível analisar passivamente as notícias. Embora ficar de olho na interação online com regularidade religiosa passe naturalmente de um ato intencional para verificar o respectivo canal de mídia social várias vezes ao dia involuntariamente, ler o conteúdo que os líderes dessas comunidades publicaram deve permanecer uma tarefa consciente. Ou seja: assim como você estará publicando suas opiniões ou seu podcast em intervalos regulares, fique de olho em canais chaves para ler, ouvir e ver todos os dias.

  • 3. Prepare-se e participe

    Depois de ouvir o suficiente, formar e começar a apresentar um ponto de vista, não faça isso de qualquer jeito – envolva-se na conversa. Tente fazer dessa tarefa algo com o máximo de humanidade que puder. Usar a caneca fofa do seu cão como avatar pode ser exagero, mas tente sempre fornecer conteúdo autêntico sobre você como indivíduo. Deixe de fora os longos pedigrees profissionais e a lista de conquistas, que é para o que serve um perfil do LinkedIn. Evite linguagem técnica e jargão de negócios, mesmo quando defender uma opinião profissional expressa em seu conteúdo. Enfim, como tudo que começamos, espere resistência – a maioria dos vizinhos não é receptiva a novas crianças aparentemente impetuosas e teimosas no quarteirão e a maioria das comunidades tem o cansaço do que é novo e não tem intenção de colaborar. Seja respeitoso com aqueles que vieram primeiro e mostre por que vale a pena conhecer você.

  • 4. Não apenas replique, crie

    Em outras palavras, crie conteúdo – ou seja, tenha uma opinião e seja apaixonado o suficiente para articulá-la e disseminá-la por qualquer meio, seja escrito, vídeo ou áudio. Embora retuitar ou compartilhar o conteúdo de outras pessoas em si seja de fato expressar uma opinião, fazê-lo sem acrescentar algumas palavras é preguiçoso, presunçoso, irritante e, em última instância, não sustentável, pois seus seguidores acabarão por perceber uma falta de criação.

  • 5. Faça a engrenagem funcionar – publique conteúdo regularmente

    Decida uma frequência, arregace as mangas e se comprometa com isso. Seja diariamente, semanalmente ou mensalmente, assim que você atrair alguns olhares, sejam seguidores ou assinantes, é rude e um desperdício deixá-los esperando. Ao contrário do que sua modéstia pode lhe dizer, não é presunção acreditar que seu conteúdo é de interesse e, embora possam não estar aguardando ansiosamente, aqueles que lêem você merecem saber que o farão regularmente. Disciplina é provavelmente a parte mais difícil na construção de uma marca pessoal, mas sem compromisso e determinação isso não pode ser feito.

  • 6. Esqueça as desculpas

    “Eu simplesmente não tenho tempo para isso” é uma desculpa absurda e não adulta para gerentes de nível médio, mas jamais um impedimento para os verdadeiros líderes.

  • 7. Este é seu trabalho diário

    Trate a tarefa como um trabalho – porque é isso que ela é! Seu outro eu, aquele que paga as contas, é transitório, as oportunidades de emprego vêm e vão, mas os relacionamentos permanecem. Dito isso, entender que ter e expressar ideias, não importa o quanto elas sejam dignas, é improvável que pague as dívidas – a profissão escolhida por você é a chave para se proteger da decepção. Só porque atingiu 1.000 seguidores não significa que deve entregar sua renúncia na segunda-feira em favor de uma carreira pública lucrativa.

  • 8. Grande por dentro

    Mesmo que você tenha que ter construído sua marca em silêncio, talvez para evitar uma política severa ou simplesmente não balançar o barco de colegas invejosos, encontre o momento certo e articule o valor do que você construiu para a organização e, em seguida, deixe a autopromoção começar. Se eles não parecem imediatamente convencidos, mostre-lhes alguns exemplos abundantes de cases em que as empresas nunca conseguem o mesmo alcance que funcionários engajados. As chances são de que você ganhe mais seguidores do que eles e faça com que o departamento de marketing se encolha – afinal, você é melhor e mais influente do que a empresa nas conversas online – mas certifique-se de enfatizar como isso pode ajudar a companhia. Não é egoísmo colocar sua própria máscara antes das crianças – qualquer instrução nas aeronaves diz isso.

  • 9. Aprenda a avaliar suas próprias recompensas

    Mesmo se você gerenciar o passo 8, você realmente não deve esperar gratidão da organização e nem que a promoção ou as recompensas durem independente da reação de um certo empregador momentâneo. Influência vem de muitas formas. Às vezes é evidente, mas, na maioria dos casos, é uma impressão deixada em um indivíduo ou grupo de pessoas que leva a uma nova ideia ou um novo processo e, como tal, a origem dele pode ser invisível a olho nu, então você pode não receber muito em forma de feedback. É importante encontrar uma maneira de quantificar o efeito de seus esforços independentemente de recompensas monetárias claras. Para algumas pessoas isso se traduz na forma de seguidores, curtidas ou visualizações de seu conteúdo. Para outras, são sinais de notoriedade, pois um pequeno subconjunto está vendo efeitos profundos de suas grandes ideias no mercado. Seja qual for a sua marca, observe e valorize-a, ela alimentará tudo o que você faz.

  • 10. Aproveite

    É preciso coragem para se colocar lá fora e pode ser um movimento desconfortável, mas a boa notícia é que a coragem é um “músculo” treinável e que, uma vez que você repete, os resultados são satisfatórios à medida que os resultados aparecem. Se você não pular as sessões de treinamento, vai amar seu reflexo no espelho. Como não amar teimosia e coragem para desbravar um novo mundo?

1. Comece bisbilhotando

Encontre onde a conversa “vive” online e observe. Gaste o tempo que você precisar para entender onde há mais engajamento. Por exemplo: no caso de alguns setores, o bate-papo está no Twitter, outros estão em grupos do LinkedIn e alguns até mesmo estimulam comentários de artigos em revistas populares. Descubra onde há mais diálogo, formule opiniões sobre a dinâmica, identifique onde suas ideias se encaixam, ajude a criar ou crie controvérsias. Então, faça dessa comunidade sua casa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).