10 lições de quem mudou de carreira com sucesso

Getty Images
Mudanças radicais são mais desafiadoras, mas podem ser mais gratificantes

Resumo:

  • Mudanças de carreira são desafiadoras, mas podem ser mais gratificantes se você escolher um caminho que lhe dê prazer e energia;
  • Faça planos e comprometa-se com um ritmo consistente, a fim de superar qualquer obstáculo que aparecer no processo de mudança;
  • Confie em seus instintos, pois eles podem apontar para uma direção que lhe interessa, mesmo que não de forma lógica.

Os períodos mais conturbados da minha vida foram quando fiz uma grande mudança de rota: quando troquei a faculdade de medicina pelo mundo dos negócios, quando mudei de São Francisco para Londres e quando deixei o mundo corporativo para abrir minha consultoria. Sim, mudar de profissão envolve mais atrito e risco do que seguir uma trajetória profissional linear. Após experimentar os altos e baixos emocionais das minhas mudanças nas últimas duas décadas, agora estou focado em entender o que é preciso para se reinventar com sucesso.

LEIA MAIS: O maior obstáculo para o sucesso é ter medo de ser você

Nos últimos anos, como consultor de mudança de carreira, conversei com centenas de pessoas sobre o assunto e entrevistei pessoalmente mais de cinquenta profissionais de dez países e cinco continentes. Eles compartilharam suas histórias em meu podcast “Career Relaunch”. Ao falar com uma ampla faixa de idades, origens, setores e cargos, descobri atitudes e crenças comuns aos indivíduos que conseguem mudar radicalmente.

Veja, na galeria de fotos abaixo, 10 lições que aprendi com esses profissionais sobre o que é preciso para relançar a carreira com sucesso:

  • 1. Aceite: não existem atalhos

    Todas as vezes em que tentei tomar uma nova direção, levei mais tempo que o esperado. Vivi três anos de confusão e reflexão para descobrir o que eu queria fazer após sair da faculdade de medicina, três anos que foram seguidos por outros dois de estudos em administração de empresas, a direção que escolhi pegar.

    Stephen Satterfield, gerente de restaurante que fundou a revista de alimentos “Whetstone”, diz que sucessos da noite para o dia não acontecem com frequência. “Qualquer empreendimento bem-sucedido é produto de trabalho árduo, dia após dia, mês após mês, ano após ano, até que haja um avanço significativo.” Sua jornada para se tornar redator e editor foi repleta de desafios, mas ele continuou a se esforçar e prosperar.

    Prepare-se para correr uma maratona em vez de uma caminhada, porque, embora os atalhos sejam úteis, eles serão raros quando você estiver tentando mudar de carreira.

  • 2. Mantenha um ritmo consistente

    Sempre que eu costumava apressar as coisas, quando criança, meu pai lembrava de um velho provérbio chinês: “Quanto mais pressa, menos velocidade”. A maioria das mudanças na minha carreira resultou de passos consistentes e demorados, não de eventos repentinos.

    Anne Tumlinson, ex-vice-presidente de uma empresa de consultoria de políticas de saúde que fundaria a comunidade Daughterhood, vê a dificuldade como parte inevitável de qualquer jornada de mudança. “Só porque algo é difícil, não significa que você está falhando. O progresso tem menos a ver com talento do que com tempo, esforço, comprometimento e consistência.” Essa mentalidade a ajudou a se tornar uma consultora independente e a construir uma crescente comunidade de mulheres comprometidas a apoiar umas às outras, principalmente no cuidado aos pais idosos.

    Comprometa-se com um ritmo consistente e constante para superar obstáculos, que surgem inevitavelmente quando você deixa um emprego.

  • 3. Tome pequenas atitudes, mesmo imperfeitas

    Eu gosto de fazer planos. Prefiro ter um planejamento sólido, mapeando as possíveis eventualidades, antes de agir. Essa atitude me impede de ser desleixado, mas também de agir. Por essa razão, minhas mudanças de carreira foram tão conturbadas: muitas vezes, quando tive que dar um passo, eu ainda não havia estudado todo o cenário.

    Chris Donovan, que trabalhou 25 anos como reparador de telefone, deu pequenos passos guiado por seu interesse por sapatos, embora não soubesse exatamente aonde chegaria. Primeiramente, ele foi estudar design de calçados em Nova York. Ao ver os designs de Donovan, o professor encorajou-o a levar o sonho a sério. Sem experiência, ele se candidatou e entrou para o Instituto Polimoda, em Florença (Itália), como um estudante prodígio. “A maioria dos alunos tinha 20 e poucos anos, e eu, 55. Eu era mais velho que os professores. Cheguei a ser confundido com um zelador algumas vezes.”

    Donovan completou o programa e, depois de sofrer para encontrar um fabricante, trabalha agora na produção de sua primeira linha de sapatos femininos de alta qualidade.

    Um salto de confiança pode ser assustador, mas necessário para abrir novas portas.

  • 4. Experimente sem criar expectativas

    Às vezes, tenho receio de investir tempo em algo, a menos que tenha certeza de que valerá a pena. Isso pode virar um ciclo vicioso: como saber se algo vale a pena até tentar?

    Desencantada com sua vida advogada corporativa, Vicky Dain se demitiu e passou um tempo no que ela chamou de “vazio fértil” para explorar outras ideias de profissão. “Só terei realmente respeitado minhas ideias quando as tiver levado adiante.” Ela passou meses experimentando uma série de interesses, de escrever a cozinhar. Foi assim que percebeu que gostava de trabalhar em contato com pessoas. “Acho o comportamento humano fascinante.” E assim ela partiu para a psicologia clínica.

    Deixe opiniões e expectativas para depois. Primeiro tente. Só desse modo você pode ignorar noções preconcebidas e focar no que interessa.

  • 5. Valorize a sua jornada

    Ao me candidatar a uma vaga em marketing, eu tinha tendência a me desculpar por não ter experiência na área. E logo percebi que essa postura não me ajudava em entrevistas de emprego.

    Professora que virou artista, Sandeep Johal costumava criticar o próprio trabalho e o próprio potencial para seguir carreira na arte. Com o passar do tempo, ela adotou uma postura mais poderosa. “Um dia, deixei de ser a minha maior crítica e me tornei a minha maior fã.” Esse pensamento inspirou ações e resultados mais positivos, e agora ela atua como artista independente. “Se você é apaixonado por algo, que o satisfaz, vá em frente. Eu passei muito tempo sem fazer o que eu gostava de fazer.”

    Para se destacar em um novo setor, é preciso acreditar que você é qualificado e único. Afinal, seu histórico que é diferente dos outros. Siga em frente com confiança.

  • 6. Elabore uma nova narrativa

    Descrever a si mesmo em tempos de mudança é difícil. Quando tentei migrar minha consultoria de saúde para marketing, tive que destacar minhas realizações em saúde, tanto no currículo como em entrevistas. No entanto, fazer isso me qualificava como alguém da área de saúde, setor do qual tentava me afastar.

    Reescrever a própria narrativa é um desafio para muitos que querem trocar de profissão. Krishelle Hardson-Hurley começou a trabalhar como professora, mas decidiu se dedicar à engenharia de tecnologia. Ela investiu muito tempo em elaborar sua narrativa pessoal para se posicionar como candidata atraente, apesar de não ter experiência na indústria de tecnologia. “Diante de pessoas que poderiam me dar uma oportunidade, eu sabia contar bem a minha história porque a havia elaborado, e conseguia comunicar minhas ambições de forma eficaz.” Um contato que ela conseguiu no DropBox ficou impressionado com a sua jornada, e ela foi selecionada para ser engenheira do site.

    Se quer mudar de profissão, invista tempo e esforço na elaboração de sua narrativa, para que outros possam ligar os pontos entre o que você fez e o que você quer fazer.

  • 7. Não se limite à rede de contatos já existente

    Uma vez, o empreendedor Jim Rohn disse: “Você é uma combinação das cinco pessoas com quem passa mais tempo”. Eu descobri que isso é verdade, embora concorde que é um processo embaraçoso tentar se cercar, de repente, de pessoas de fora da sua área. Quando saí do marketing corporativo para abrir minha consultoria de carreira, naturalmente me sentia mais à vontade com colegas do marketing. Eu me sentia como um impostor junto a outros empreendedores, mas estar perto deles me empurrou para o caminho que eu queria.

    Quando Adrian Knight pensou em deixar seu trabalho como recrutador, muitas pessoas dos seus círculos mais próximos disseram que ele não deveria se afastar de seu emprego estável — e isso o convenceu a sair. “Olhei para a vida das pessoas ao redor e percebi que não era o que eu queria para mim.” Ele acabou ignorando o conselho de sua rede de contatos e deu um salto para fundar a própria franquia de recrutamento.

    O ex-marqueteiro de tecnologia Noz Nozawa também viu que sua rede profissional não era a melhor fonte de inspiração para seu negócio de design de interiores. “Ao buscar pessoas para conversar sobre minhas ideias, percebi que é poucos já fizeram o que queriam.”

    Procure se cercar de pessoas alinhadas com o seu futuro, não apenas com o passado.

  • 8. Defina seus limites e seu ponto de virada

    Uma das primeiras lições que aprendi foi a de definir meus limites e seu ponto de virada antes de qualquer negociação. Percebi que estou sempre negociando comigo mesmo sobre o que é e o que não é aceitável para mim. Por exemplo: eu sempre valorizei o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, mas já passei por muitos períodos em que tolerei chegar tarde em casa e trabalhar aos fins de semana.

    A ex-tenista profissional Rina Einy passou a primeira parte de sua vida como jogadora de destaque internacional. Chegou a representar a Grã-Bretanha nas Olimpíadas de 1988. No entanto, depois dos Jogos, ela decidiu mudar e seguir uma carreira corporativa. “Eu não precisava provar mais nada para ninguém ou para mim mesma. Só não queria mais fazer aquilo.” Ela ligou para o treinador e disse que ele não queria mais jogar. Depois, passou a estudar na Escola de Economia e Ciência Política de Londres e conseguiu um emprego na JP Morgan, em Wall Street. Hoje, Rina é diretora administrativa da Textyle International e fundadora da Culthread London.

    Já Julian Mather deixou de ser atirador de elite do exército australiano para trabalhar como cinegrafista de TV e mago infantil. Ele atribui sua capacidade de mudar radicalmente ao afastamento que teve do passado. “É importante deixar as coisas para trás. É assim que você conseguirá uma vida nova e dar tudo de si.”

    Para começar um novo capítulo em sua carreira, defina qual será o seu limite e seu ponto de virada. Comprometa-se consigo mesmo e a seguir em frente.

  • 9. Busque energia em vez de paixão

    Nenhuma das mudanças na minha carreira envolveu seguir minha “paixão”. Na verdade, eu descobri que a palavra “paixão” é inadequada para definir rumos profissionais. Em vez disso, investi tempo em usar meus pontos fortes e fazer coisas que me interessavam, mesmo que não atingissem o nível de uma verdadeira paixão.

    A ex-marqueteira de software Zai Divecha começou a pensar em mudar de profissão ao perceber que se sentia mais motivada por projetos paralelos que pelo trabalho diário. Ela havia montado uma equipe de ciclismo para arrecadar fundos e adorava o sentimento e a energia que tinha quando construía algo próprio. “Eu sabia que queria trabalhar para mim mesma e sabia que queria ser criativa. Mas não tinha um plano exato.”

    Pensar nas atividades que davam energia a ajudou a descobrir o que fazer. “Eu sempre fiz coisas com as mãos no meu tempo livre, desde criança. É quando me sinto mais engajada e focada.” Depois de passar um ano explorando ideias com outros artesãos, Zai lançou seu próprio estúdio de design e agora cria esculturas de papel para seus clientes.

    Descubra como realizar mais trabalhos que possam ser energizantes para você.

  • 10. Confie nos seus instintos

    Eu descreveria a mim mesmo como um indivíduo lógico, cerebral, um planejador. Nenhuma das minhas mudanças de profissão, porém, foi uma atitude racional ou lógica. E sim por ter uma sensação clara de haver chegado a hora de partir para outra coisa.

    Gerente de exportação de cosméticos que virou nutricionista e naturopata, Audrey Lemargue usou os próprios sentimentos como bússola em sua mudança de profissão. “Ao perceber que queria me tornar uma naturopata, não me importava mais o que as pessoas pensavam”, diz. “Confie e siga seu instinto. Se não parece certo, é porque não é. Dê a si mesmo tempo para descobrir. As respostas chegarão a você, se permanecer aberto.”

    Confie na intuição: ela aponta para uma direção que honra quem você é, mesmo quando não parece lógica.

  • Conclusão: não há varinhas mágicas, mas etapas úteis

    Uma coisa que aprendi depois de conversar com muitas pessoas que mudaram de profissão é que a jornada de cada um é única, embora existam padrões de sucesso comuns entre aqueles que conseguem. A boa notícia é que você é o motorista. Você decide quando deve agir de acordo com o que está sentindo, para buscar algo que o faça mais feliz.

    A outra coisa que aprendi é que fazer esforço para buscar um trabalho mais significativo — que energize, estimule e satisfaça — é um dos empreendimentos mais gratificantes que você pode seguir na carreira. Independentemente de quão desafiadoras ou alongadas tenham sido essas jornadas, cada pessoa que entrevistei disse que sair do caminho comum por um trabalho mais significativo para elas foi uma atitude valiosa.

1. Aceite: não existem atalhos

Todas as vezes em que tentei tomar uma nova direção, levei mais tempo que o esperado. Vivi três anos de confusão e reflexão para descobrir o que eu queria fazer após sair da faculdade de medicina, três anos que foram seguidos por outros dois de estudos em administração de empresas, a direção que escolhi pegar.

Stephen Satterfield, gerente de restaurante que fundou a revista de alimentos “Whetstone”, diz que sucessos da noite para o dia não acontecem com frequência. “Qualquer empreendimento bem-sucedido é produto de trabalho árduo, dia após dia, mês após mês, ano após ano, até que haja um avanço significativo.” Sua jornada para se tornar redator e editor foi repleta de desafios, mas ele continuou a se esforçar e prosperar.

Prepare-se para correr uma maratona em vez de uma caminhada, porque, embora os atalhos sejam úteis, eles serão raros quando você estiver tentando mudar de carreira.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).