LinkedIn desenvolve ferramenta para avaliação de habilidades

LinkedIn/Gettylaflor
O espaço entre a demanda do mercado de trabalho e as proficiências dos candidatos está deixando a vida de recrutadores mais difícil

Resumo:

  • O aumento da distância entre o esperado pelo mercado e as habilidades dos candidatos motivou a LinkedIn a criar uma nova ferramente;
  • A funcionalidade garante uma medalha ao candidato que gabaritar o teste, além de preferência na lista de procura dos empregadores;
  • Os resultados iniciais mostraram que os candidatos que fizeram e passaram nos exames conseguiram 30% mais empregos do que outros candidatos.

Conforme o mercado de trabalho evolui, as habilidades requeridas pelos candidatos também devem se desenvolver. Mas quando 75% dos profissionais de recursos humanos afirmam encontrar dificuldades devido à escassez de habilidades, pode parecer que a força de trabalho não conseguiu manter o mesmo ritmo de evolução. Agora, o LinkedIn resolveu ajudar a diminuir essa lacuna.

LEIA MAIS: 6 técnicas não tradicionais de recrutamento

Na última terça-feira (17), a rede social de profissionais anunciou o lançamento da ferramenta de “avaliação de habilidades”, por meio da qual os usuários podem testar seus conhecimentos. Os que tiverem sucesso podem colocar uma medalha de “aprovado” próxima à habilidade testada em suas páginas de perfil, um tipo de validação que o LinkedIn espera que encoraje o melhoramento de habilidades dentre os usuários e que melhore o pareamento entre empregados em potencial e os empregadores certos.

“Nós podemos notar uma evolução no mercado de trabalho e muito mais sofisticação na maneira como recrutadores e diretores de contratação procuram certas proficiências. Também vemos um mercado de aprendizado mudando”, afirma Hari Srinivasan, diretor principal de gestão de produtos no LinkedIn Learning. “A combinação desses dois pontos nos animaram em mudar nosso mercado de oportunidades para fazer com que o lado da contratação e o do aprendizado trabalhem melhor em conjunto”.

Como exatamente a ferramenta funciona? Digamos que um usuário quer mostrar sua proficiência em Microsoft Excel. Em vez de simplesmente listar “Excel” na seção de habilidades do perfil, ele pode fazer um teste de múltipla escolha para demonstrar o quanto ele realmente conhece sobre o assunto. Se gabaritar o teste, além da medalha de aptidão no perfil, ele também receberá prioridade em pesquisas de recrutadores, que podem procurar candidatos por habilidades, ensino ou empregador. Se o usuário falhar, pode fazer o teste novamente em alguns meses, tempo suficiente para melhorar seu conhecimento.

A ferramenta está em modo de desenvolvimento desde março, apenas dois milhões de usuários (de um total de 630 milhões de membros da LinkedIn) fizeram o teste, mas os primeiros resultados parecem promissores. De acordo com a empresa, membros que completaram as avaliações de habilidade tiveram probabilidade 30% maior de encontrar empregos do que membros que não o fizeram.

LEIA TAMBÉM: Amazon desiste de ferramenta secreta de recrutamento

“Esse tem sido um jeito muito bom para os membros mostrarem o que sabem e no que são bons”, diz Emrecan Dogan, gestor de produto da empresa.

Apesar de nova para o LinkedIn, a prática de mensuração das habilidades dos candidatos tem sido muito comum entre recrutadores por décadas. Quando pesquisas autorizadas pela empresa revelaram que 69% dos empregados sentiam que habilidades se tornaram mais importantes do que conhecimento, o LinkedIn sentiu que era o momento de dar a oportunidade para os candidatos mostrarem do que são capazes logo de início.

E TAMBÉM: 10 melhores empregadores dos EUA em 2019

Por mais importantes que as habilidades insensíveis que os candidatos podem testar pela nova ferramenta do LinkedIn sejam, Dawn Fay, da empresa de recrutamento Robert Half, encoraja recrutadores e candidatos a não se esquecerem da importância das habilidades sensíveis. “Você não deve querer aprovar ou reprovar alguém só com base no desempenho dessa pessoa em uma avaliação de habilidades”, afirma. “Consiga mais pontos de informação que possa usar, questione as pessoas sobre como se saíram em outros testes e veja se é algo que pode se encaixar na procura da melhor pessoa para ocupar a vaga”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).