5 lições de carreira tiradas do trabalho social

Getty Images /Hero Images
Além de aprimorar a qualidade de vida, as práticas colaborativas melhoram a forma de lidar com inconvenientes no trabalho

Resumo:

 

  • O ato de ajudar os outros é conhecido como um aprimorador de qualidade de vida, uma vez que aumenta a gratidão, reduz a ansiedade e pode até melhorar a produtividade;
  • A contribuição em causas sociais não apenas é benéfica para a saúde, mas também aprimora a habilidade de driblar inconvenientes profissionais;
  • Saber como se posicionar quando há um desacordo, ser um seguidor, aceitar a derrota e ter um plano de longo prazo são algumas das lições aprendidas na prática de ajudar os outros. 

Ajudar os outros é um ato conhecido como aprimorador da qualidade de vida. Oferecer e retribuir à sua comunidade ajuda a aumentar a gratidão, reduz a ansiedade e pode até impulsionar sua produtividade.

Pesquisas apontam que voluntários semanais experimentam o mesmo aumento de felicidade do que quem recebe um acréscimo significativo no salário. O ato de ajudar não apenas proporciona uma sensação agradável instantânea, mas também traz benefícios duradouros à sua saúde e bem-estar.

VEJA MAIS: O que importa e o que não interessa no empreendedorismo social

Entretanto, mesmo com as melhores intenções, pode ser difícil arranjar tempo para se engajar. Caso precise de motivação extra, aqui estão as cinco lições essenciais de carreira que você aprenderá ajudando outros e se envolvendo em causas sociais.

  • 1.Como se posicionar quando há um desacordo

    Saber expressar preocupação e insistir para que ocorram mudanças organizacionais é uma das lições de carreira mais difíceis de aprender. Pessoas fortes demais correm o risco de serem consideradas causadoras de problemas. Ao mesmo tempo, quem fala com pouca frequência não é levado a sério como profissional.

    Isso é especialmente complicado se você é uma mulher ou negro, com o ônus adicional de superar um viés inconsciente de que está reclamando ou sendo emocional. Independentemente disso, decidir quando criticar uma norma cultural estabelecida ou uma forma de negociação, não é uma decisão fácil.

    Lutar por uma causa que você acredita o força a brigar a seu favor em um ambiente que não está vinculado ao seu salário. Dessa forma, existe a chance de praticar a expressão de seus valores e advogar por pessoas com menos poder do que você.

    Quanto mais exercitar essa habilidade, melhor conseguirá canalizar seu descontentamento ou até ousar tomar medidas que realmente resolvam o problema. Você aprende a passar da frustração pessoal para as soluções muito mais rapidamente. E isso é um recurso inestimável para qualquer empresa.

  • 2. Como ser um seguidor

    Muito é dito e escrito sobre como ser um bom líder, mas não se presta muita atenção em como ser um seguidor. No entanto, grande parte do sucesso de sua carreira será determinada por quem escolhe seguir e pela forma de gerenciar esses relacionamentos.

    Desempenhar um papel pequeno em uma organização voluntária ensina como avaliar o que te faz confiar em um líder e como obter satisfação ao seguir a estratégia de outra pessoa.

    O objetivo é sair do voluntariado com um senso muito mais claro de sua capacidade de seguir. Você consegue confiar no julgamento de outras pessoas ou fica facilmente frustrado quando não está no comando?

    Seguir não é ter devoção cega; requer discernimento, comprometimento e lealdade. Esses são os mesmos valores que o ajudarão a alcançar os objetivos do seu chefe ou organização e a criar um forte apoio de seu superior.

  • 3. Como lidar com problemas dos quais os outros têm medo

    Não importa a sua idade ou o seu ramo de atuação, ser um solucionador de problemas muito procurado é o divisor de águas para avançar sua carreira. Quando os problemas ou os clientes mais difíceis surgirem, é preciso estar preparado para resolvê-los Todavia, aprender a resolver empecilhos complicados, obviamente não é fácil.

    É possível aprimorar esta habilidade desenvolvendo sua capacidade de reunir e entender o contexto histórico e consolidar rapidamente visões diferentes. Também é necessário estar disposto a trabalhar com foco em uma solução menos que perfeita e refinar sua abordagem à medida que avança. Essas são as aptidões construídas ao se envolver de maneira significativa em problemas sociais difíceis.

    Dedicar tempo para ajudar os outros melhora inevitavelmente sua carreira, de modo a desenvolver ainda mais sua capacidade de abordar questões complexas e difíceis.

  • 4. Como solicitar o apoio de especialistas

    Paixão não é o mesmo que expertise. Você pode ser apaixonado por mudanças climáticas, direitos humanos, moradia acessível ou impedir a crueldade animal, mas talvez não conheça o suficiente sobre esses tópicos para propor soluções viáveis. É necessário solicitar o apoio de especialistas. Em sua carreira, aprender quando obter conhecimentos externos pode evitar que você tome más decisões de negócios, potencialmente prejudiciais ao trabalho.

    Seu voluntariado e filantropia devem permitir que você conheça e aprenda com especialistas de variados campos. Aproveite a oportunidade para observar exemplos de líderes que dominam o conhecimento e criam um plano de ação forte para as soluções que eles propõem.

    Preste atenção também às armadilhas das decisões tomadas sem dados de suporte ou a inclusão de especialistas relevantes sobre o assunto. Às vezes, ver o que não fazer é o professor mais eficaz.

  • 5. Como aceitar a derrota e ter um plano de longo prazo

    Seria bom se fosse possível resolver todos os problemas do mundo apenas com seu melhor esforço, mas não é assim que a vida funciona. Todas as causas têm vitórias e contratempos, e saber aceitar o desapontamento é uma habilidade crítica que você aprenderá ao tentar contribuir socialmente.

    Observe sua carreira e avalie sua capacidade de falhar ou aceitar a derrota. Mudar de emprego pode ser bom se estiver desvalorizado ou não atingir seu objetivo, mas você será prejudicado a longo prazo por decisões precipitadas que podem ser motivadas pelo medo de fracassar.

    Ter um plano de longo prazo em sua carreira ajuda a reconhecer quando um revés no trabalho deve ser esquecido ou quando é do seu interesse enfrentar uma tempestade. Lembre-se de que a ambição recebe toda a glória, mas a paciência costuma ser o segredo oculto de carreiras extraordinárias. Ao retribuir e ser voluntário, você pode praticar e aprender cada uma dessas lições enquanto faz sua contribuição exclusiva para o mundo.

1.Como se posicionar quando há um desacordo

Saber expressar preocupação e insistir para que ocorram mudanças organizacionais é uma das lições de carreira mais difíceis de aprender. Pessoas fortes demais correm o risco de serem consideradas causadoras de problemas. Ao mesmo tempo, quem fala com pouca frequência não é levado a sério como profissional.

Isso é especialmente complicado se você é uma mulher ou negro, com o ônus adicional de superar um viés inconsciente de que está reclamando ou sendo emocional. Independentemente disso, decidir quando criticar uma norma cultural estabelecida ou uma forma de negociação, não é uma decisão fácil.

Lutar por uma causa que você acredita o força a brigar a seu favor em um ambiente que não está vinculado ao seu salário. Dessa forma, existe a chance de praticar a expressão de seus valores e advogar por pessoas com menos poder do que você.

Quanto mais exercitar essa habilidade, melhor conseguirá canalizar seu descontentamento ou até ousar tomar medidas que realmente resolvam o problema. Você aprende a passar da frustração pessoal para as soluções muito mais rapidamente. E isso é um recurso inestimável para qualquer empresa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).