6 lições que um CEO deve aprender segundo a cofundadora do app BetterMe

Reproducao/Forbes
Segundo a CEO do app BetterMe, Victoria Repa, ser corajoso e analítico são qualidades cruciais para obter bons resultados nos negócios

Resumo:

 

  • Victoria Repa, CEO e cofundadora do BetterMe, um ecossistema de aplicativos de saúde e condicionamento físico, compartilha lições que aprendeu antes de fazer 27 anos, as quais a impulsionaram para o sucesso;
  • Segundo a executiva, ser analítico sobre o próprio empreendimento, mas também corajoso nas tomadas de decisão, são qualidades cruciais para obter bons resultados nos negócios;
  • Adquirir conhecimento por conta própria, entender a necessidade do mercado alvo e primeiramente testar o conceito para provar sua eficiência são outras lições aprendidas por ela.

Eu fundei conjuntamente uma plataforma de saúde e atividade física aos 24 anos. Três anos depois, foram lançados sete aplicativos desta categoria, que geraram 50 milhões de downloads e milhões de dólares em receita anual recorrente.

VEJA MAIS: 3 estratégias para engajar funcionários na era digital segundo um ex-CEO do Google

Quando olho para minha vida, tanto em relação aos desafios quanto aos avanços, percebo que a estratégia vencedora que adotei se resume a uma fórmula simples: fazer mais, falar menos. Dessa forma, estou convencida de que qualquer profissional pode replicar meus resultados a partir de algumas etapas simples.

  • 1) Aprenda tudo por conta própria

    Bill Gates, Mark Zuckerberg e Steve Jobs são empresários de tecnologia famosos que não dependeram da educação tradicional. Abandonar a faculdade pode ser uma medida extrema, mas a graduação não garante nenhum sucesso. O que parece ser um desafio é, na verdade, uma grande oportunidade, especialmente para aqueles que não têm acesso às melhores escolas e podem perder posições iniciais para quem possui tal oportunidade.

    Eu comecei em uma situação que, aparentemente, não me abriria muitos caminhos: cresci em uma pequena vila localizada em uma região remota da Ucrânia. Minha escola era tão pequena que eu tinha apenas 12 colegas e cada aula durava somente 20 minutos. A fim de me destacar na vida, tornei-me autodidata e li tudo o que pude encontrar. Após anos de estudo por conta própria, recebi uma bolsa para frequentar a melhor escola de economia da Ucrânia.

    Muitos bilionários famosos compartilham um caminho semelhante. O fundador da Oracle, Larry Ellison, abandonou a faculdade duas vezes. Oprah Winfrey cresceu na pobreza e se tornou a primeira coâncora afro-americana em Nashville. Howard Schultz, da Starbucks, cresceu em um complexo habitacional de baixa renda, mas ganhou uma bolsa de futebol da Northern Michigan University.

    Se você estiver em em uma posição de início parecida, não se desespere. Atualmente, existem muitas aulas online gratuitas. Pode ser difícil obter um ensino superior, mas se lembre de que quase 30% dos bilionários não possuem um diploma universitário.

  • 2) Vá atrás de todas as oportunidades

    É um clichê, mas as oportunidades estão por toda parte. Enquanto eu cursava a faculdade, participei de todas as competições organizadas. Embora essas atividades não aparentem gerar grandes resultados, podem se tornar o primeiro elo de uma cadeia de sucesso. No meu caso, vencer uma competição organizada por uma empresa me garantiu um emprego após a formatura.

    Depois de um ano de trabalho, inscrevi-me em uma escola aceleradora de TI apenas porque estava entediada e precisava de novos desafios. Mas esse emprego me incentivou a mudar para o setor de tecnologia e me introduziu no mundo das startups.

    Portanto, aproveite todas as chances possíveis. Você fará uma viagem de negócios? Conecte-se com os moradores locais e encontre informações úteis sobre o ambiente. Vai participar de uma conferência? Encontre pessoas que possam estar interessadas em conversar com você com antecedência. Um recrutador não o contratou para uma posição específica? Permaneça em contato de qualquer maneira, e você será lembrada quando algo mudar.

  • 3) Observe o que os outros precisam

    A falta de necessidade do mercado é uma das principais razões para a falência das startups. Antes de iniciar minha empresa, tive alguns projetos sem êxito. Tentei criar uma comunidade para homens interagirem enquanto estavam ociosos, um portal de beleza para mulheres e até um aplicativo de receitas para crianças. Nenhum deles decolou porque não havia demanda por eles.

    Existem muitas empresas que falharam com as ideias iniciais durante o caminho para o sucesso: o YouTube começou como um serviço de namoro por vídeo; o Groupon foi apenas uma adição a uma plataforma social falida conhecida como The Point; o Shopify começou como uma loja on-line de equipamentos de snowboard.

    Aqui estão duas regras a partir desses exemplos: primeiro, analise minuciosamente o mercado alvo da sua ideia; depois, pense em uma opção diferente se a demanda não corresponder às suas expectativas.

  • 4) Crie seu negócio por iniciativa própria

    Um dia, decidi procurar um aplicativo de condicionamento físico que afastasse minha mente do trabalho. Apesar da infinidade de aplicativos com essa categoria no mercado, nada poderia me proporcionar uma experiência pessoal e holística.

    Mais de 70% dos adultos norte-americanos estão acima do peso. É certo que a maioria deles já procurou uma solução para alcançar o condicionamento físico e não conseguiu encontrar nada, assim como eu. Então, decidi criar um novo, eu mesma.

    Esse exemplo é típico para muitas fundadoras que se sentem mal atendidas. Heidi Zak ficou frustrada com os maus ajustes de seus sutiãs, então, decidiu produzir os seus próprios e começar a ThirdLove.

    Você tem um problema que ainda não tem solução? Não espere alguém resolver, faça você mesma.

  • 5) Antes de mais nada, prove a eficiência do conceito

    Ao iniciar nosso negócio, eu e meu sócio não queríamos investir todos os nossos recursos antes de provar o conceito.

    Por isso, lançamos um blog temático para testar nossas ideias com nossos leitores fiéis. Depois de acumular um grande público e provar que nosso conceito daria um bom resultado, decidimos contratar desenvolvedores para criar um aplicativo básico em três meses. Somente após o teste, decidimos entrar no negócio com seriedade e lançar um produto completo. Isso nos economizou toneladas de recursos.

    Diferentes empresas exigem tipos distintos de verificações de conceito: muitas entrevistas, pesquisas de marketing, testes de viabilidade. De qualquer forma, não cometa os erros mais comuns de iniciar um negócio e investir todo o seu dinheiro em um único empreendimento sem antes testar o conceito.

  • 6) Apenas faça

    Dois anos atrás, em uma aula do programa executivo de Stanford, eu estava discutindo a expansão da minha empresa no setor B2B, com outros empresários. Todos eles tinham 35 anos ou mais, enquanto eu tinha apenas 25. Com a intenção de dar bons conselhos, eles tentaram me desestimular a expandir, de modo a enfatizar que eu não tinha experiência de mercado.

    Pensar demais é um dos piores pecados para o dono de uma startup. Em algum momento, você precisa parar de se preocupar e apenas fazer. Você pode imaginar alguém dizendo a Elon Musk que ele não tinha experiência na construção de naves espaciais?

1) Aprenda tudo por conta própria

Bill Gates, Mark Zuckerberg e Steve Jobs são empresários de tecnologia famosos que não dependeram da educação tradicional. Abandonar a faculdade pode ser uma medida extrema, mas a graduação não garante nenhum sucesso. O que parece ser um desafio é, na verdade, uma grande oportunidade, especialmente para aqueles que não têm acesso às melhores escolas e podem perder posições iniciais para quem possui tal oportunidade.

Eu comecei em uma situação que, aparentemente, não me abriria muitos caminhos: cresci em uma pequena vila localizada em uma região remota da Ucrânia. Minha escola era tão pequena que eu tinha apenas 12 colegas e cada aula durava somente 20 minutos. A fim de me destacar na vida, tornei-me autodidata e li tudo o que pude encontrar. Após anos de estudo por conta própria, recebi uma bolsa para frequentar a melhor escola de economia da Ucrânia.

Muitos bilionários famosos compartilham um caminho semelhante. O fundador da Oracle, Larry Ellison, abandonou a faculdade duas vezes. Oprah Winfrey cresceu na pobreza e se tornou a primeira coâncora afro-americana em Nashville. Howard Schultz, da Starbucks, cresceu em um complexo habitacional de baixa renda, mas ganhou uma bolsa de futebol da Northern Michigan University.

Se você estiver em em uma posição de início parecida, não se desespere. Atualmente, existem muitas aulas online gratuitas. Pode ser difícil obter um ensino superior, mas se lembre de que quase 30% dos bilionários não possuem um diploma universitário.

Conclusão

Essas regras não garantem sucesso imediato, mas há uma lição que todos devem aprender com elas: seja analítico sobre seu empreendimento, mas também corajoso em sua tomada de decisão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).