11 perguntas para se preparar para a década da disrupção profissional

Getty Images /Westend61
Getty Images /Westend61

Ao refletir sobre a própria trajetória, é possível obter clareza em relação aos pontos fortes e valores

“É a mudança de uma década e sinto que preciso ‘processar’ mais do que apenas o que comi nas festas de fim de ano”, disse recentemente uma cliente de coaching executivo com um sorriso.

Sua empresa está passando por mudanças, ela se sentiu confusa em seus pensamentos após as férias e queria minha ajuda a fim de esclarecer suas metas para o próximo ciclo anual. Na visão de muitos, o hábito é se apressar para planejar o que virá a seguir ou criar as resoluções usuais de ano novo (geralmente abandonadas em algumas semanas após a virada). Em vez disso, propus refletir sobre algumas perguntas.

VEJA MAIS: 3 maneiras de ter um negócio de sucesso na era da disrupção

Recomendo que cada um de nós trabalhe com essas questões para que possamos estar mais preparados e presentes para esta década de disrupção, na qual milhões de empregos antigos desaparecerão e novos serão criados.

Esses questionamentos o ajudarão a obter clareza em relação a seus pontos fortes e valores, desenvolver agilidade no aprendizado e descobrir as contribuições que deseja dar ao seu local de trabalho e vida em geral nos próximos anos.

Veja na galeria a seguir:

  • 1. Pelo que me sinto verdadeiramente grato agora?

    Essa pergunta nos ajuda a examinar tudo de bom que já existe antes de se apressar em estabelecer metas para o próximo ano. Ao obter uma visão mais ampla dos aspectos pelos quais se é grato (saúde, relacionamentos, experiências, aprendizado, bens materiais), é possível definir metas a partir de uma posição de contentamento, de modo que sejam mais autênticas e satisfatórias, em vez de apenas baseadas na comparação com um padrão externo de sucesso. É mais provável que esses objetivos sejam cumpridos porque são estabelecidos a partir de motivadores próprios.

    Getty Images /Westend 61
  • 2. De quais qualidades e realizações do passado tenho orgulho?

    Essa pergunta permite perceber o que foi realizado e até o momento atual. Ao lado de cada uma de suas realizações, liste os pontos fortes que você desenvolveu, os quais possibilitaram essa conquista. Conhecer e potencializar totalmente suas qualidades será essencial para atingir as metas e ter a confiança necessária a fim de promover uma disrupção.

    Getty Images /Westend 61
  • 3.Quem são as pessoas que me ajudaram?

    Para cada uma de suas principais realizações, liste aqueles que o ajudaram –mentores, chefes, colegas, companheiros de equipe, família ou amigos. Reserve alguns minutos para refletir sobre como cada um deles lhe deu suporte. Na década da disrupção, os líderes mais eficazes serão capazes de promover a colaboração em um ecossistema. Do ponto de vista da neurociência, aproveitar um período de tempo para realmente sentir e expressar gratidão pelos outros ajuda a aprofundar as vias neurais no cérebro a fim de se sentir mais conectado e colaborar melhor.

    Getty Images /Maskot
  • 4.Que experiências profissionais e pessoais foram significativas e me moldaram?

    Escolha três a cinco experiências que realmente o moldaram. Certifique-se de incluir experiências de desafio, sucesso e fracasso. O que você aprendeu de cada uma? O que as torna significativas? Um cliente de coaching executivo compartilhou com grande coragem que ele foi demitido de um emprego há alguns anos e como foi difícil para ele. Enquanto refletíamos, ele percebeu que tinha muita vergonha disso e fez algumas suposições que o impediam de ser eficaz em sua função atual (por exemplo, “tomar decisões difíceis com relação às pessoas causará minha demissão”). Não consigo enfatizar suficientemente a importância de levar o tempo necessário para examinar sucessos e fracassos. Fazer isso com um coach executivo ou um consultor de confiança com habilidades de coaching pode realmente ajudá-lo a trabalhar no aprendizado e reexaminar suas suposições e crenças.

    Getty Images /d3sign
  • 5.Com base nas reflexões anteriores, o que posso aprender sobre meus valores?

    É possível encontrar dicas valiosas sobre o que é importante e gratificante para você, examinando suas fontes de gratidão e orgulho e até as frustrações e desafios enfrentados. Por exemplo, uma cliente de coaching executivo sorriu ao me contar sobre uma conversa em que ela estava orientando um jovem líder a se conectar mais com sua organização. Ela percebeu que “desenvolver um talento” é importante, o que lhe deu muita satisfação. Discutimos maneiras de trazer mais disso para seus dias de trabalho a fim de vislumbrar um propósito maior em sua atuação. Encontrar significado ajuda se sustentar nos desafios diários e a ser mais resiliente no fracasso.

    Getty Images /d3sign
  • 6. Ao sair desta década, de que estou pronto para me desfazer?

    Pense nos medos que o impedem de progredir. Há suposições (por exemplo, “tomar decisões difíceis com relação às pessoas causará minha demissão” ou “eu simplesmente não sou bom em x”) cuja eliminação criará uma carreira mais bem-sucedida e gratificante a você?

    Getty Images /Westend 61
  • 7. Que forças, valores e senso de propósito são importantes para se consolidar durante a mudança?

    Dadas as transformações rápidas e imprevisíveis à frente, é importante se conectar e estimular um GPS interno a fim de obter fundamentos e tomar decisões corretas para si.

    Getty Images /Westend 61
  • 8.Qual é minha definição pessoal de sucesso e contribuição (no que diz respeito aquilo que é importante para mim)?

    Os aspectos relevantes podem ser o seu impacto na saúde, carreira profissional, família e comunidade. De fato, essa é uma pergunta difícil uma vez que a visão de sucesso e contribuição de cada um muda com o tempo e não se pode respondê-la de uma só vez. É importante ponderar gradativamente e convidar seu GPS interno para sussurrar respostas a você durante momentos tranquilos ou experiências significativas.

    Getty Images /Sylian Sonnet
  • 9. Que novos conjuntos de habilidades serão importantes aprender?

    Com a revolução digital, é possível ter habilidades em automação, análise de dados, robótica ou criatividade e inteligência emocional. Faça um curso, peça uma designação de um projeto para se desenvolver ou um mentor nessa área. Escolha um campo e dê um pequeno passo. Que novas experiências você deseja vivenciar para ajudá-lo a aprimorar esse conjunto de habilidades?

    Getty Images /Thomas Barwick
  • 10. Quem são os mentores, a comunidade ou o grupo com quem é importante estar. conectado e colaborar?

    Ao refletir sobre o que é importante para você, pense não apenas na rede confiável que tem agora. Considere também novas pessoas com as quais você pode contribuir e aprender.

    Getty Images /Thomas Barwick-1
  • 11. Quais práticas o ajudarão a lidar melhor com as emoções?

    Para mim, uma prática diária de atenção plena, ioga semanal e caminhadas na natureza com os amigos são uma fonte de concentração, autocuidado e resiliência. Com quais atividades você deseja se comprometer?

    Getty Images /Westend 61

1. Pelo que me sinto verdadeiramente grato agora?

Essa pergunta nos ajuda a examinar tudo de bom que já existe antes de se apressar em estabelecer metas para o próximo ano. Ao obter uma visão mais ampla dos aspectos pelos quais se é grato (saúde, relacionamentos, experiências, aprendizado, bens materiais), é possível definir metas a partir de uma posição de contentamento, de modo que sejam mais autênticas e satisfatórias, em vez de apenas baseadas na comparação com um padrão externo de sucesso. É mais provável que esses objetivos sejam cumpridos porque são estabelecidos a partir de motivadores próprios.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).