7 lições surpreendentes que podem ser tiradas da “autoquarentena”

Divulgação

Você já entendeu sobre o conselho de lavar as mãos. Agora, como lidar com todas as outras questões: ansiedade, depressão e solidão?

Pedi a especialistas conselhos para administrar pânico, medo, e o mais difícil, o isolamento.

Veja na galeria a seguir sete dicas para lidar melhor com a chamada “autoquarentena”:

  • Eliminar a ansiedade? Não muito realista

    Os momentos mais estressantes da vida de um adulto normalmente são perder um membro próximo da família, ter problemas com o trabalho, seguidos de dificuldades financeiras e cuidados com outras pessoas, de acordo com uma pesquisa de 2018 feita pela Academia Americana de Odontopediatria. Um pandemia coloca todos estes possíveis problemas em máxima potência. Não é de se estranhar que você esteja se sentindo ansioso. Por isso, imponha-se a meta de ficar um pouco mais relaxado, pois a ansiedade não irá embora tão cedo.

  • Home office, solidão epidêmica

    Em média, aproximadamente 30% dos adultos de 18 a 49 anos são propensos a experimentar a solidão frente a 17% dos adultos com 50 anos ou mais, de acordo com a pesquisa citada acima. Não subestime o peso da solidão que pode ser desencadeado pela mudança brusca em seu ambiente de trabalho. Trabalho remoto para aqueles que nunca fizeram isso antes pode, mesmo, ser solitário.

    Para ajudar, pense que os especialistas estão trabalhando cuidadosamente para conter a disseminação do vírus. Esse objetivo não é somente para proteger as pessoas, mas para evitar que o vírus continue se espalhando de forma incontrolável.

  • O que as outras pessoas estão fazendo

    Sem julgamentos. É uma pandemia. Mas no caso de você estar se perguntando o que os seus colegas de trabalho estão fazendo, a pesquisa da AADP demonstra que em tempos de crise, no alto da lista das maneiras de como lidar com a situação estão jogar duas ou mais horas de vídeo games, navegar na internet e assistir horas seguidas à televisão. Alguns optam por esportes e exercícios.

  • Administrando sentimentos ruins

    A maioria de nós poderia utilizar o que os terapeutas chamam de “pensamento realista”. Isso é o que vem à sua mente quando você consegue parar de ter pensamentos exagerados e dramáticos e substituí-los por outros mais realistas e positivos. Você deve ter ouvido que terapeutas preferem se referir a isso como “confrontar pensamentos negativos”. Eu acho impossivel conseguir colocar a tática em prática sem algum tipo de ajuda. Há testes disponíveis on-line para ajudar a botar as coisas em perspectiva.

  • Choque digital

    Algumas pessoas, que até o momento foram bem-sucedidas em evitar aumentar o nível de suas habilidade digitais vão se encontrar experienciando frustrações. Existe uma curva de aprendizado em trabalhar sozinho e de forma remota. Se você nunca fez isso antes, ou pelo menos não durante bastante tempo, deve estar preparado para enfrentar sentimentos críticos e desafiadores por parte da sua equipe em relação aos dispositivos digitais. Ajude-os a passar por isso, seja gentil, seja generoso. O objetivo da quarentena não é ganhar, mas sair da crise ileso e saudável.

  • Chefie a si mesmo

    Ser chefe de si mesmo pode ser surpreendentemente complicado, principalmente para aqueles presos a uma rotina por anos. Meu melhor conselho é reconhecer o quão duro você é consigo mesmo às vezes. Conversar com os colegas de trabalho é uma boa e terapêutica forma de se supervisionar. Traga os assuntos mais improváveis possíveis como “o que você está vendo na TV?” ou “como está distraindo as crianças?”. Isso ajuda a manter o contato com o ambiente de trabalho mesmo de forma remota.

  • Insista em uma comunicação clara

    Muitos escritórios irão organizar uma força-tarefa ou comitê para conter a crise. Idealmente, isso precisa incluir todas as áreas como segurança, RH, TI, área jurídica e administradores que irão comunicar os funcionários que estão remotos sobre as decisões.

    Alguns especialistas sugerem que você não questione o seu funcionário a respeito de doenças, mas que você o encaminhe ao comitê montado especialmente para lidar com os casos em seu trabalho. Isso não significa que você não pode falar com o seu supervisor sobre estar se sentindo estressado, ansioso ou confuso com suas tarefas. Esta pessoa deve estar preparada para direcioná-lo aos líderes e sites que oferecem informações definitivas sobre a pandemia.

Eliminar a ansiedade? Não muito realista

Os momentos mais estressantes da vida de um adulto normalmente são perder um membro próximo da família, ter problemas com o trabalho, seguidos de dificuldades financeiras e cuidados com outras pessoas, de acordo com uma pesquisa de 2018 feita pela Academia Americana de Odontopediatria. Um pandemia coloca todos estes possíveis problemas em máxima potência. Não é de se estranhar que você esteja se sentindo ansioso. Por isso, imponha-se a meta de ficar um pouco mais relaxado, pois a ansiedade não irá embora tão cedo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).