3 lições que os recém-nascidos podem ensinar às lideranças das empresas

Tachanon Watana A Mornkiat EyeEm/Getty Images
Tachanon Watana A Mornkiat EyeEm/Getty Images

Delegar, priorizar e cuidar de si mesmo são alguns valores práticos que a maternidade ensina

Minha filha recém-nascida me ensinou mais sobre os fundamentos dos negócios em cinco semanas do que eu aprendi em sete anos como CEO.

Minha “pequena chefe”, Orion, como eu a chamei, colocou-me em um rigoroso treinamento que abriu meus olhos para diversas habilidades que podem fazer muita diferença no dia a dia de qualquer líder.

LEIA MAIS: Qual melhor forma de ensinar os filhos a lidar com dinheiro?

Grávidas são frequentemente vistas como pessoas em declínio, que ficarão muito tempo longe do trabalho e voltarão menos eficazes. Acredito, no entanto, que essa crença deve ser revista. Minha licença-maternidade tem sido mais eficaz do que qualquer treinamento de liderança empresarial do qual já tenha participado, e me ensina diariamente a delegar, priorizar e a me manter em positiva. Espero que algum dia os empregadores contratem mulheres grávidas, sabendo que elas serão ainda mais eficazes após o treinamento com seus recém-nascidos.

Veja, na galeria a seguir, três ensinamentos que podemos aprender com nossos filhos:

  • 1. Saiba delegar

    Eu moro a três quarteirões de uma farmácia. Como muitas mães, eu precisava de diversos produtos femininos de higiene enquanto me recuperava do parto. Todos os dias após o nascimento de Orion, eu dizia a mim mesma que encontraria tempo para caminhar até lá e comprar os produtos de que precisava. Mas, após horas de amamentação, embalando um bebê que chorava e tentando me alimentar no meio desse processo, eu percebi que não conseguiria chegar à loja. Finalmente, após uma semana sem conseguir andar os três quarteirões, desisti e pedi ajuda ao meu sogro. Dez minutos depois, eu tinha os produtos em mãos. Nas últimas semanas, passei a não ter vergonha em delegar e fui pedindo ajuda a amigos e familiares com tudo, do jantar à lavanderia. Também comecei a fazer compras online.

    Sempre soube que delegar é a chave para administrar uma empresa de sucesso. Mas saber é muito diferente de ser bom nisso, especialmente quando se trata de áreas de negócios nas quais um CEO se especializa. Passei anos aprimorando estratégias de vendas e propostas de imprensa para a startup onde trabalho, a Kuli Kuli. A preparação para a licença-maternidade foi um verdadeiro teste da minha capacidade de entregar as principais contas da empresa para a equipe de vendas e preparar o time de marketing para quaisquer compromissos que poderiam surgir enquanto eu estivesse fora. Foi um teste no qual não passei com louvor. Quando pressionada, a nova chefe de vendas e marketing da Kuli Kuli comentou que eu não tinha delegado de forma tão clara quanto ela esperava.

    Sei que voltarei da licença-maternidade com uma nova capacidade de pedir ajuda mais cedo e entregar totalmente as tarefas sem um microgerenciamento. Orion me ensinou como delegar é importante para eu conseguir me destacar tanto nos negócios quanto no meu novo papel como mãe.

    Westend61/Getty Images
  • 2. Analise o que priorizar

    Eu adoro listas. Durante a gravidez, fiz diversos tópicos sobre “projetos de licença-maternidade” que incluíam grandes iniciativas, como atualizar meu site pessoal, terminar a proposta de um livro e construir um jardim de inverno. Na primeira semana em que Orion nasceu, fiz o que achei ser uma lista relativamente prática com tarefas que incluía ações que eu costumava achar serem fáceis de executar, como regar as plantas, enviar e-mails e trocar a roupa de cama.

    Quatro dias depois, cheia de hormônios pós-parto, mostrei minha lista ao meu marido, chorando de soluçar porque nunca mais seria capaz de realizar nada. Em vez de rir do absurdo de fazer tópicos com tarefas dias após o parto, ele gentilmente sugeriu que eu diminuísse um pouco minhas expectativas. Afinal, a licença-maternidade existe porque é impossível para as mulheres trabalharem enquanto se recuperam dos desafios do parto e se ajustam à loucura de cuidar do recém-nascido 24 horas por dia, sete dias por semana. Hoje em dia, minha lista é muito mais curta: consiste em cochilar, tomar banho e dar uma caminhada. No final da minha lista, escrevo: “escolha dois de três.”

    Em minha carreira como CEO, sou conhecida por fazer listas de tarefas extremamente longas. Embora essa ambição seja importante, também significa que muitas vezes me comprometo demais. Sou muito curiosa e otimista, uma combinação de características que significa que, muitas vezes, sou péssima em negar algo quando estou diante de novas oportunidades.

    A Orion me ensinou um novo nível de priorização. Eu descobri que qualquer atividade que não seja uma “obrigação” não pode mais estar na minha lista de tarefas. Atualmente, ao saber de uma nova oportunidade, por menor que seja o tempo comprometido, vou avaliá-la com rigor.

    FG Trade/Getty Images
  • 3. Autocuidado é sinônimo de autopreservação

    Estou à frente de uma empresa na indústria do bem-estar e sempre me achei muito boa em cuidados pessoais. Na minha realidade antes da pandemia do novo coronavírus e pré-gravidez, eu ia de bicicleta para o trabalho todos os dias, corria ao redor do lago perto do escritório e passava cerca de dez minutos meditando antes de começar a trabalhar. Eu priorizava o sono, dormia oito horas mesmo durante minhas semanas mais estressantes. Mas tudo isso mudou quando a Orion nasceu. Em vez de passar minhas manhãs me exercitando, não conseguia dormir e lutava para encontrar tempo até mesmo para escovar os dentes.

    Vendo a situação, minha sogra ficou com pena e nos incentivou, a mim e ao meu marido, a darmos uma caminhada enquanto ela cuidava da Orion. Sair de casa e exercitar meu corpo me trouxe uma sensação incrível, como se um peso saísse de cima de mim. Percebi que não estava sendo a mãe positiva e feliz que queria ser. Agora, caminhamos todos os dias e descobrimos que isso nos acalma, inclusive a nossa filha.

    O esgotamento emocional e físico de fundadores e CEOs é um tema muito importante no mundo das startups. Quando uma empresa enfrenta desafios, é muito fácil tentar resolvê-los trabalhando o tempo todo, perdendo o sono e interrompendo as atividades físicas. Mas Orion me ensinou que não importa o quão ocupada eu esteja, preciso cuidar de mim mesma para poder cuidar de todos os desafios, seja de um recém-nascido ou de uma crise na companhia.

    Image Source/Getty Images

1. Saiba delegar

Eu moro a três quarteirões de uma farmácia. Como muitas mães, eu precisava de diversos produtos femininos de higiene enquanto me recuperava do parto. Todos os dias após o nascimento de Orion, eu dizia a mim mesma que encontraria tempo para caminhar até lá e comprar os produtos de que precisava. Mas, após horas de amamentação, embalando um bebê que chorava e tentando me alimentar no meio desse processo, eu percebi que não conseguiria chegar à loja. Finalmente, após uma semana sem conseguir andar os três quarteirões, desisti e pedi ajuda ao meu sogro. Dez minutos depois, eu tinha os produtos em mãos. Nas últimas semanas, passei a não ter vergonha em delegar e fui pedindo ajuda a amigos e familiares com tudo, do jantar à lavanderia. Também comecei a fazer compras online.

Sempre soube que delegar é a chave para administrar uma empresa de sucesso. Mas saber é muito diferente de ser bom nisso, especialmente quando se trata de áreas de negócios nas quais um CEO se especializa. Passei anos aprimorando estratégias de vendas e propostas de imprensa para a startup onde trabalho, a Kuli Kuli. A preparação para a licença-maternidade foi um verdadeiro teste da minha capacidade de entregar as principais contas da empresa para a equipe de vendas e preparar o time de marketing para quaisquer compromissos que poderiam surgir enquanto eu estivesse fora. Foi um teste no qual não passei com louvor. Quando pressionada, a nova chefe de vendas e marketing da Kuli Kuli comentou que eu não tinha delegado de forma tão clara quanto ela esperava.

Sei que voltarei da licença-maternidade com uma nova capacidade de pedir ajuda mais cedo e entregar totalmente as tarefas sem um microgerenciamento. Orion me ensinou como delegar é importante para eu conseguir me destacar tanto nos negócios quanto no meu novo papel como mãe.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).