2021: o sucesso das mulheres à frente da ação social e da filantropia no Brasil

Donata Meirelles homenageia as mulheres que prestigiaram o mercado com o seu trabalho em 2021.

Donata Meirelles
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação/Donata Meirelles

“A Mulher de Sucesso” entra em férias. Voltamos em Fevereiro.

Acessibilidade


Esta semana vi em um capítulo da novela “Quanto Mais Vida Melhor”, uma personagem decidindo leiloar peças de seu closet, recheado de grifes poderosas, a fim de levantar recursos para a ala infantil de um hospital. A cena me chamou atenção por dois motivos. Primeiro pelo recado fundamental dado pelo autor da trama, Mauro Wilson: doe, participe, colabore, auxilie o próximo. E depois, porque cada vez mais as mulheres vem dando o exemplo na construção de uma cultura de filantropia no Brasil.

Revendo todas as colunas “A Mulher de Sucesso” publicadas ao longo de 2021 – é hora de fazer um balanço do ano que termina – fiquei super feliz e orgulhosa em ver o quanto nossas entrevistadas compartilharam suas experiências em ações sociais e filantropia. E o quanto convocam e inspiram pessoas a seguirem esse caminho que faz bem para todo mundo. Cada uma encontrando maneiras e alternativas para ajudar, impactar pessoas e fazer a diferença.

Não à toa, conversei com Luiza Trajano, nossa mrs. Magalu, na coluna final de 2020. Ela está à frente do Grupo Mulheres do Brasil, que luta por mais mulheres na política – e em outras lideranças da sociedade – e no combate da violência contra a mulher. Além do programa pioneiro para trainees negros em sua empresa. Luiza foi certeira: “Você só estará bem se o outro também estiver”.

A empresária Rachel Maia marcou presença na coluna impressa apresentando o Instituto Projeto Capacita-me, de auxílio às pessoas desempregadas ou em situação de vulnerabilidade socioeconômica problema agravado ainda mais pela pandemia. Enquanto Ana Eliza Setubal, através do site e do bazar Oportunidade do Bem, promove o desapego como agente transformador.

Sem esquecer Mayara Lyra, diretora e co-fundadora da ONG Gerando Falcões, contra a pobreza – ao lado do marido Edu Lyra. As advogadas Juliana Souza e Silvia Souza em sua cruzada anti-discriminatória e pela equidade racial, assim como Luana Génot, do Instituto Identidades do Brasil, por mais equipes e lideranças negras nas empresas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além de Preta Gil e seu sempre bombado Bazar da Preta – este ano também em auxílio às vítimas das enchentes no Sul da Bahia. Bete Arbaitman, à frente da AMEM (Associação dos Amigos do Menor Pelo Esporte Maior). Sabrina Sato, que sempre encontra tempo, energia e entidades para ajudar. Daniela Sarahyba, na INCAVoluntários. Mônica Mendes, colocando sua expertise em comunicação a serviço da empatia e da inclusão do Friendship Circle. E Celina Locks, que acaba de assumir a presidência da Fundação Fenômenos de projetos sociais, criada pelo seu companheiro Ronaldo, o próprio.

Finalmente um destaque especial para Marília Mendonça, a cantora e compositora que nos deixou tão cedo, nesse final de ano, e foi homenageada com uma das capas da nossa revista “Forbes Life Fashion”. Ela dizia: “O lugar da mulher é sempre à frente”.

Parabéns e muito obrigada a todas as mulheres de sucesso que nos prestigiaram com seu trabalho, sua inspiração e suas histórias nesses quase dois anos de coluna.
Feliz Natal e um radiante 2022!

PS: “A Mulher de Sucesso” entra em férias. Voltamos em Fevereiro. Em Abril de 2022, chega a segunda edição da “Forbes Life Fashion”.

Compartilhe esta publicação: