Produtores de “The Crown” se desculpam por salários

Atriz protagonista recebeu cachês menores do que ator durante a série

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Claire Foy recebeu menos do que Matt Smith pelas duas primeiras temporadas da série (Divulgação)

Acessibilidade


Os produtores da série de TV “The Crown” se desculparam ontem (20) por pagarem menos para a atriz vencedora de prêmios que interpretou a rainha Elizabeth do que ao ator que interpretou o príncipe Philip, mas não disseram nada sobre corrigir o desequilíbrio passado.

LEIA MAIS: 12 países com os salários mais altos

A produtora Left Bank Pictures, sediada no Reino Unido, reconheceu na semana passada que Claire Foy recebeu menos do que Matt Smith pelas duas primeiras temporadas da série “The Crown”, da Netflix, sobre a família real britânica.

A história, o exemplo mais recente de disparidade salarial na indústria do entretenimento, ganhou manchetes e gerou uma petição pedindo para Smith doar a diferença de seu salário para o Time’s Up, movimento contra abusos sexuais e assédios em ambientes de trabalho, no Reino Unido.

“Nós queremos pedir desculpas para Claire Foy e para Matt Smith, atores brilhantes e amigos, que entraram no centro de um turbilhão midiático nesta semana sem terem culpa”, informou a Left Bank Pictures em comunicado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Nós da Left Bank Pictures somos responsáveis por orçamentos e salários; os atores não estão cientes de quem ganha o que e não podem ser pessoalmente responsabilizados pelo pagamento de seus colegas”. Foy, Smith e a Netflix não comentaram sobre a questão e o tamanho da disparidade salarial não é conhecida.

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

Os produtores disseram estar “absolutamente unidos à luta por pagamento justo” e por um “rebalanceamento” do tratamento de mulheres na indústria. Eles disseram estar dispostos a conversar com a ramificação britânica do Time’s Up.

O comunicado desta terça-feira não informou se ou como a disparidade entre Foy e Smith será composta retroativamente.

Compartilhe esta publicação: